segunda-feira, maio 20

Projeto de Lei reconhece surdez unilateral como deficiência

Projeto da Delegada Gleide Ângelo avança na Casa Legislativa, promovendo inclusão e igualdade de direitos para portadores de surdez unilateral.

Projeto de Lei da Deputada Gleide Ângelo, reconhece surdez unilateral como deficiência. Foto: Williams Aguiar

Estará em destaque na Casa Legislativa desta terça-feira (16) o projeto de lei 730/2023, da deputada Delegada Gleide Ângelo, que visa reconhecer a surdez unilateral como deficiência física na Política Estadual da Pessoa com Deficiência. A proposta, que marca um avanço significativo rumo à igualdade de direitos, passará por segunda votação na plenária e, se aprovada, seguirá para sanção no Palácio do Campo das Princesas.

📲Siga nosso perfil no Instagram

A surdez unilateral, embora por vezes subestimada, acarreta limitações sensoriais aos seus portadores, cujos impactos negativos se refletem na vida cotidiana, dificultando a integração social. “Fui procurada por uma comissão de pessoas com surdez unilateral, que relataram as dificuldades enfrentadas diariamente. Eles têm um esforço auditivo para compensar o lado que não escuta, o que resulta em cansaço, ansiedade e outros conflitos”, explica a deputada, ressaltando a importância da aprovação do projeto para garantir uma sociedade mais inclusiva e equitativa.

📲Siga o canal “Fala News” no WhatsApp

A proposta coloca Pernambuco entre os 10 estados brasileiros que reconhecem a surdez unilateral como deficiência. A votação na sessão plenária, às 15h, será acompanhada por uma comissão de portadores que contribuíram para a construção do projeto de lei em parceria com a deputada.👂🗳️

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *