segunda-feira, abril 15

João Campos renuncia a R$ 7,5 milhões para apoiar municípios em dificuldades orçamentárias

João Campos destaca solidariedade municipalista ao ceder parte da arrecadação, aprovada pela Alepe, enquanto reforça busca por eficiência e inteligência fiscal local.

Prefeito do Recife João Campos do PSB.
Prefeito do Recife João Campos do PSB. Foto: Divulgação

Em um gesto de solidariedade e compromisso municipalista, o prefeito do Recife, João Campos, anunciou hoje a decisão de renunciar a R$ 7,5 milhões da arrecadação anual da gestão, correspondente à cota parte de ICMS. A medida, aprovada nesta quarta-feira (13) na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), visa apoiar 23 pequenos municípios que enfrentam grandes dificuldades orçamentárias, inclusive para manter serviços essenciais.

“A decisão foi acordada ontem à noite com o presidente da Alepe, Álvaro Porto, que me ligou para propor essa medida. Quero parabenizar a todos os envolvidos nesse processo, os deputados do nosso partido e também os de outras legendas. Eu sempre defendi a pauta municipalista e, em um momento como esse, jamais deixaria de me posicionar em favor de quem mais precisa”, afirmou o gestor.

O acordo reflete um compromisso elevado com a justiça fiscal e a solidariedade entre as cidades do estado. Além disso, destaca o papel de liderança e responsabilidade que o Recife exerce no contexto regional. De maneira prática, a renúncia do montante contribui para que cidades pequenas possam manter serviços essenciais funcionando para a população.

📲Siga o canal “Fala News” no WhatsApp

Em contraponto, João Campos assegura que a capital pernambucana tem alternativas para aumentar sua arrecadação sem recorrer ao aumento da carga tributária. “Em relação ao nosso município, temos condições de buscar novas formas de aumentar a arrecadação sem aumentar imposto. Por exemplo, potencializar a nossa eficiência na máquina pública, otimização de processos e inteligência fiscal na arrecadação”, concluiu.

A iniciativa do prefeito evidencia não apenas uma atitude de generosidade financeira, mas também um esforço para promover uma distribuição mais equitativa dos recursos públicos entre os municípios do estado. A aprovação na Alepe ressalta a importância do diálogo entre os poderes executivo e legislativo para a implementação de medidas que visam o benefício coletivo.

📲Siga nosso perfil no Instagram

Os 23 municípios beneficiados poderão agora contar com um alívio em suas finanças, permitindo a continuidade de serviços essenciais como saúde, educação e infraestrutura. A decisão do prefeito João Campos sinaliza uma abordagem proativa para lidar com os desafios orçamentários, destacando que a cooperação entre as cidades é fundamental para fortalecer o conjunto do estado.

A renúncia fiscal, apesar de ser um gesto louvável, suscita debates sobre a necessidade de reformas estruturais que possam garantir uma distribuição mais justa dos recursos públicos desde a origem. A eficiência na gestão pública e a busca por alternativas criativas para impulsionar a arrecadação emergem como elementos cruciais nesse contexto.

Dessa forma, a atitude do prefeito João Campos transcende a esfera local, representando um exemplo para outras gestões municipais que enfrentam desafios semelhantes. A solidariedade e a responsabilidade fiscal, aliadas a estratégias inovadoras, emergem como pilares essenciais para fortalecer a coesão entre os municípios, construindo um caminho mais sólido em direção ao desenvolvimento sustentável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *