domingo, fevereiro 25

Lucinha Mota é diplomada como vereadora de Petrolina

Lucinha Mota tem vitória reconhecida pela Justiça Eleitoral, e assume vaga após fraude na cota de gênero em 2020.

Lucinha Mota recebe diploma de vereadora de Petrolina — Foto: Lucilene Santos / TV Grande Rio
Lucinha Mota recebe diploma de vereadora de Petrolina — Foto: Lucilene Santos / TV Grande Rio

Nesta sexta-feira, 20 de outubro, Lucinha Mota, filiada ao PSDB. Foi oficialmente diplomada como a nova vereadora de Petrolina, no Sertão de Pernambuco. A solenidade ocorreu um dia após a Justiça Eleitoral reconhecer sua vitória nas eleições municipais de 2020. Que haviam sido obscurecidas por um escândalo de fraude na cota de gênero. Lucinha assume a vaga deixada por Júnior Gás, do partido Avante, cujo mandato foi cassado devido às irregularidades eleitorais. A posse está programada para ocorrer ainda nesta sexta-feira.

A decisão histórica aconteceu após a 83ª Zona Eleitoral de Petrolina realizar um minucioso reprocessamento da totalização dos votos proporcionais das eleições de 2020. Visando definir o legítimo ocupante da vaga deixada por Júnior Gás. O processo de contagem foi conduzido com transparência no Fórum Eleitoral da cidade, garantindo a lisura do processo.

Lucinha Mota, emocionada com a diplomação, expressou sua satisfação em finalmente ver a justiça prevalecer: “A justiça foi feita. Em 2020, esperávamos esse mesmo resultado. Mas infelizmente houve uma fraude eleitoral que impediu o candidato legítimo de exercer sua função na Câmara Legislativa de Petrolina. Hoje, essa correção, de fato, foi realizada. Lutamos três anos na justiça para que isso acontecesse.”

A quinta-feira, 19 de outubro, marcou a saída de Lucinha Mota do cargo de secretária de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco. Na sequência de sua vitória nas eleições de 2020 e em conformidade com as regras eleitorais.

Nas eleições municipais de 2020, Lucinha Mota conquistou 2.656 votos como candidata do PSOL. Entretanto, em 2022, quando tentou uma vaga na Assembleia Legislativa de Pernambuco, ela estava filiada ao PSDB, partido ao qual permanece afiliada atualmente.

Lucinha Mota se tornou uma figura pública de destaque em Pernambuco devido a uma tragédia pessoal. Sua filha, Beatriz Angélica, de apenas sete anos, foi brutalmente assassinada dentro do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, em Petrolina, em 10 de dezembro de 2015, durante a festa de formatura.

Desde esse momento trágico, Lucinha e seu marido, Sandro Romilton, têm travado uma batalha incansável em busca de justiça. No final de 2021, o casal realizou uma impressionante caminhada de Petrolina até o Recife, pedindo solução para o caso. Pouco tempo depois, a polícia prendeu Marcelo da Silva, acusado de cometer o crime. Em novembro do ano passado, Marcelo passou por uma audiência de instrução, mas ainda não há uma data definida para um possível julgamento.

Contudo, a controvérsia persiste, uma vez que o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) anunciou sua intenção de questionar o mandato da agora vereadora. Tiago Paraíba, presidente estadual da sigla, destacou. “O mandato é do partido, e a gente vai reivindicar o mandato para que o segundo suplente assuma.”

O processo de posse de Lucinha Mota marca um momento significativo na política de Petrolina. Ao mesmo tempo, destaca a importância da integridade e transparência no processo eleitoral. O futuro da vaga na Câmara Legislativa de Petrolina continua a gerar interesse e debate na esfera política do estado de Pernambuco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *