segunda-feira, abril 15

Jadson afirma sobre possível aliança com Klaus: “Há diálogo; a luta é para juntar todos da oposição.”

Pré-candidato a prefeito de Escada, Jadson afirma está dialogando com Klaus do PT, sobre uma possível união para disputar as eleições de 2024, contra a prefeita Mary Gouveia.

Jadson Caetano com a governadora Raquel Lyra. Foto: Divulgação
Jadson Caetano com a governadora Raquel Lyra. Foto: Divulgação

O pré-candidato a prefeito de Escada, Jadson Caetano (Cidadania), em entrevista exclusiva ao Portal Fala News, respondeu a alguns questionamentos sobre as conversas na oposição à prefeita Mary Gouveia (Sem Partido) e a possibilidade de aliança política com Klaus Lima do PT nas eleições de 2024.

Questionado sobre as informações de bastidores que apontam uma articulação estadual do Partido dos Trabalhadores para atrair aliados da governadora Raquel Lyra para seus palanques municipais na composição de chapas majoritárias, Jadson destacou que há diálogo com todos do campo da oposição e que não desejam a reeleição da prefeita Mary Gouveia.

📲Siga o canal “Fala News” no WhatsApp

Confira as indagações e questionamentos feitos ao pré-candidato:

Sanchilis Oliveira (Jornalista): Numa conjuntura estadual e nacional com o PT, você comporia chapa?

Jadson Caetano: A luta é para juntar todos da oposição. Mas a majoritária, com Jadson Caetano como candidato a prefeito, irá pelo partido do Governo do Estado.

Sanchilis Oliveira (Jornalista): No caso, o PSDB?

Jadson Caetano: Isso. Ou, caso a governadora oriente, pode ser pelo Cidadania, já que faz parte da mesma federação.

Sanchilis Oliveira (Jornalista): Há possibilidade de união da oposição?

Jadson Caetano: Há diálogo com todos que não querem os Gouveias na prefeitura de Escada. No entanto, não há possibilidade de abrirmos mão de encabeçar a chapa de candidato a prefeito.

Sanchilis Oliveira (Jornalista): No caso, não há possibilidade de ser vice-prefeito numa conjuntura nacional com o PT, e só a vice que você tem disponível para Klaus numa composição?

Jadson Caetano: Se a governadora Raquel Lyra solicitar colocar o vice no partido do PT ou por qualquer outro partido, isso poderá ser feito com certeza. Mas não definimos quem será nosso vice, nem por qual partido virá; isso será construído em conjuntura com nosso grupo, mediante pesquisa também.

📲Siga nosso perfil no Instagram

Apesar da negativa de uma composição como possível candidato a vice-prefeito na chapa de Klaus Lima do PT, há nos bastidores uma movimentação articulada pelos petistas locais, junto aos senadores Humberto Costa e Teresa Leitão, além do Deputado Federal Carlos Veras e do presidente estadual do PT de Pernambuco, Deputado Estadual Doriel Barros, para unir a oposição em Escada, tendo Klaus como nome do partido na cabeça de chapa. E já houveram encontros entre os dois pré-candidatos sobre o assunto de união da oposição.

PT trabalha para unir Klaus e Jadson em chapa única das oposições. Foto: Reprodução
PT trabalha para unir Klaus e Jadson em chapa única das oposições. Foto: Reprodução

Também se leva em consideração que o desempenho de Jadson nas eleições de 2022 foi um fenômeno atípico pela ausência de adversários na disputa, o que o fez navegar em maré mansa e angariar votos, inclusive de eleitores que não votam nele para prefeito e deram o voto para deputado como um ato de resposta do eleitor que não vota na prefeita Mary Gouveia, mas votaria em Klaus ou em algum candidato apresentado pelo ex-prefeito Lucrécio Gomes.

O PT tem levado em consideração o desempenho nas eleições de 2020, quando todos se enfrentaram de forma igual, e puderam, numa disputa municipal, medir suas forças no eleitorado escadense. Um fator que fará pressão é o apoio nacional e estadual, que, no caso de Jadson, tem apenas a governadora Raquel Lyra, que não anda bem avaliada nos últimos meses; segundo pesquisa do Instituto Veritá, ela tem 60,8% de rejeição, sendo até um problema a ser carregado nas eleições municipais do próximo ano. Diferente do PT, que nada em boas águas com a alta aprovação de Lula em Pernambuco, que é de 67%, dando aos petistas competitividade ao vincular a imagem do presidente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *