segunda-feira, abril 15

TCE aponta Jaboatão como um dos piores em educação infantil

Relatório do TCE destaca maus indicadores de Jaboatão em Educação, Saneamento, Saúde e Segurança na gestão de Mano Medeiros.

Relatório do TCE aponta desastre na gestão de Mano Medeiros aliado de Anderson Ferreira. Foto: Divulgação
Relatório do TCE aponta desastre na gestão de Mano Medeiros aliado de Anderson Ferreira. Foto: Divulgação

No cenário desafiador enfrentado por Jaboatão dos Guararapes, segunda maior cidade de Pernambuco, os índices alarmantes apontados pelo TCE nos setores de Saúde, Educação, Segurança Pública e Saneamento Básico têm gerado inquietações entre os cidadãos e críticas contundentes, como as expressas pelo ex-vereador Daniel Alves (Avante) em suas redes sociais.

Com uma população estimada em 644.037 habitantes, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cidade encontra-se em posição desfavorável em diversos indicadores. O Tribunal de Contas do Estado (TCE) divulgou recentemente dados que apontam Jaboatão dos Guararapes como a sétima pior cidade pernambucana em relação à cobertura de pré-escola.

Segundo o relatório do TCE, apenas 4,01% das crianças de zero a três anos contam com o suporte da prefeitura, liderada pelo prefeito Mano Medeiros (PL), por meio de vagas em creches municipais. Isso significa que, de uma população de 37.402 crianças, somente 1.550 estão matriculadas, deixando um déficit de 14.300 vagas em relação à meta estabelecida pelo Ministério da Educação (MEC).

A situação na pré-escola, destinada a crianças de três a cinco anos, não é mais animadora, com uma cobertura municipal de apenas 40,9%. Esse cenário revela lacunas significativas na oferta de educação infantil, essencial para o desenvolvimento cognitivo e social das crianças.

Além dos desafios na Educação, a auditoria do TCE destacou questões preocupantes em relação à segurança nas unidades de ensino. Nenhuma escola vistoriada possuía licença válida da Vigilância Sanitária ou laudo emitido pelo Corpo de Bombeiros. Adicionalmente, a ausência de extintores de incêndio coloca em risco a segurança de alunos, pais, professores e demais profissionais da educação.

No âmbito do saneamento básico, Jaboatão dos Guararapes também enfrenta dificuldades, sendo apontada pelo Instituto Trata Brasil entre as 20 piores cidades do país nesse quesito. O acesso inadequado a serviços essenciais impacta diretamente na qualidade de vida da população.

Na Saúde, a cidade aparece em penúltimo lugar no ranking de Atenção Básica do Ministério da Saúde, indicando desafios na oferta de serviços essenciais à população. Os dados refletem a necessidade urgente de investimentos e melhorias nos setores cruciais para o bem-estar dos cidadãos jaboatanenses.

Diante desse quadro complexo, a cobrança por soluções efetivas e a necessidade de uma gestão comprometida com o desenvolvimento integral da cidade se tornam ainda mais evidentes. Resta à população e às autoridades locais unirem esforços para superar os desafios e promover uma transformação positiva nos indicadores que tanto impactam a qualidade de vida em Jaboatão dos Guararapes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *