segunda-feira, julho 22

Setor de serviços no Brasil registra terceira alta consecutiva, em julho

Setor apresentou crescimento de 0,5% no mês, acumulando ganhos de 2,2% em três meses

Setor de serviço
Foto: Reprodução
O volume de serviços no Brasil continuou em ascensão em julho, com um aumento de 0,5% em relação ao mês anterior. Essa marca representa a terceira alta consecutiva do indicador, que acumulou um crescimento de 2,2% nos últimos três meses.
Além disso, em comparação a julho do ano passado, os serviços registraram uma alta de 3,5%, enquanto no acumulado do ano e dos últimos 12 meses, os ganhos foram de 4,5% e 6%, respectivamente. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) por meio da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS).
Entre os setores em destaque, além dos transportes, estão os serviços prestados às famílias, com um aumento de 1%, e outros serviços, com um crescimento de 0,3%. Por outro lado, os serviços profissionais, administrativos e complementares tiveram uma queda de 1,1%, enquanto informação e comunicação apresentaram uma redução de 0,2%.
As atividades turísticas, que foram analisadas separadamente pela PMS, tiveram um crescimento de 0,7% de junho para julho. Isso coloca o segmento 6,2% acima do patamar de fevereiro de 2020, embora ainda esteja 1,4% abaixo do ponto mais alto da série histórica, alcançado em fevereiro de 2014.
No geral, o setor de serviços está 12,8% acima do nível pré-pandemia (fevereiro de 2020), mas ainda 0,9% abaixo do patamar de dezembro do ano passado, quando atingiu um volume recorde na série histórica iniciada em 2012.
A receita nominal do setor de serviços também apresentou taxas de crescimento, com destaque para o aumento de 0,2% em relação a junho, 4,6% em relação a julho do ano passado, 8,5% no acumulado do ano e 11% no acumulado de 12 meses.
De acordo com o pesquisador do IBGE, Rodrigo Lobo, o setor de serviços é impulsionado pelo transporte de cargas rodoviário, que registra crescimento desde o pós-pandemia, devido ao comércio eletrônico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *