segunda-feira, junho 17

Policiais Civis de PE desistem de greve no carnaval

Sindicato suspende paralisação após intimação judicial e proposta de mediação do Legislativo; diálogo com governo é crucial Policiais Civis desistirem da greve.

Polícia Civil de Pernambuco desiste de realizar greve durante o carnaval
Polícia Civil de Pernambuco desiste de realizar greve durante o carnaval. Foto: Rafael Vieira/DP

Em reviravolta de última hora, os policiais civis de Pernambuco decidiram não deflagrar a greve durante o Carnaval, conforme anunciado anteriormente. A decisão foi tomada em assembleia geral convocada pelo Sindicato dos Policiais Civis do Estado (Sinpol-PE) nesta sexta-feira, após intensa pressão jurídica.

O presidente do Sinpol-PE, Áureo Cisneiros, foi intimado pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) na última quarta-feira, com uma determinação explícita de não prosseguir com a paralisação. O tribunal também estabeleceu uma multa diária de R$ 300 mil em caso de descumprimento da ordem judicial.

“A assembleia dos policiais civis começou tensa em decorrência da insistente falta de diálogo do governo e das últimas falas de Túlio Villaça, Secretário da Casa Civil, que desrespeitou a categoria e mostrou profundo desconhecimento sobre o sistema de segurança”, informou o Sinpol-PE em nota ao Diario de Pernambuco.

📲Siga o canal “Fala News” no WhatsApp

Durante a reunião, o deputado Álvaro Porto, também Policial Civil e presidente da Assembleia Legislativa, entrou em cena ao ligar para Áureo Cisneiros, oferecendo o poder Legislativo para intermediar as negociações com o governo estadual. Essa proposta parece ter sido crucial para a suspensão da greve, indicando uma possibilidade de diálogo e mediação.

A relação entre os policiais civis e o governo estadual vinha se deteriorando devido à alegada falta de diálogo, somada às recentes declarações polêmicas do Secretário da Casa Civil. A categoria buscava melhorias nas condições de trabalho e reivindicava o reconhecimento do governo quanto à complexidade do sistema de segurança.

A decisão de não realizar a greve no Carnaval pode ser vista como uma estratégia para buscar um caminho mais assertivo nas negociações. O papel do Legislativo como mediador indica uma abertura para o diálogo, mas a postura do governo será determinante para o desfecho dessa situação.

📲Siga nosso perfil no Instagram

É válido ressaltar que a paralisação dos policiais civis durante o período do Carnaval poderia ter impactos significativos na segurança pública, levando em consideração a importância dos agentes no controle e prevenção de incidentes durante as festividades.

O Sinpol-PE, por meio da nota, não mencionou uma data específica para o reinício das negociações, mas destacou a disposição em dialogar de maneira construtiva. A situação permanece sob intensa observação, com a sociedade aguardando desdobramentos que possam garantir a segurança e a estabilidade necessárias durante o Carnaval em Pernambuco.

Em meio a esse cenário tenso, a esperança é que o diálogo prevaleça, resultando em acordos que atendam às demandas legítimas dos policiais civis, sem comprometer a segurança da população durante o período festivo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *