segunda-feira, maio 20

Onze mil casos de leucemia são diagnosticados por ano no Brasil

 Só em Pernambuco, são esperados 540 casos em 2023

Foto:Divulgação
Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), são diagnosticados 11 mil novos casos de leucemia no Brasil, por ano. Em Pernambuco, nesse ano de 2023, são esperados 540 casos. O Junho Laranja é uma campanha que busca conscientizar sobre essa doença.
As leucemias são cânceres que comprometem a fábrica do sangue (medula óssea), que passa a liberar os glóbulos brancos (leucócitos) doentes na corrente sanguínea, sejam eles muito jovens (blastos), quando falamos em leucemias agudas; ou já maduros e bem diferenciados, quando falamos em leucemias crônicas. “Em qualquer das situações há um defeito genético que originou a doença. Sua causa é desconhecida e pode-se dizer que na maioria das vezes é multifatorial”, explica a hematologista Lorena Costa.
A especialista explica a diferença entre a leucemia aguda e crônica. “Na primeira, há dificuldade de produzir células saudáveis, já na segunda não há perda na capacidade de formar novas células, mas há alterações do funcionamento das células já maduras”. Nas leucemias agudas, geralmente ocorre a multiplicação das células tumorais de maneira rápida, enquanto que nas leucemias crônicas, o aumento das células tumorais é mais lento e o paciente pode não apresentar sintomas. Lorena alerta ainda para os principais sintomas: anemia, cansaço, falta de ar, palidez e manchas roxas.
Tratamentos – Há formas diversas de tratamento para os diferentes tipos de leucemias, havendo possibilidades com quimioterapia, drogas alvo, transplante de medula, medicamentos e até mesmo, observação clínica. “Recentemente, tivemos muitos avanços quando se fala em tratamento da leucemia. A terapia com Car-T CELL é um exemplo disso. Nessa opção, os linfócitos do tipo T são tratados em laboratório para que eles possam reconhecer e atacar as células cancerosas. Mas nem sempre ela pode ser a primeira opção de escolha, depende do caso”, acrescenta. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *