domingo, fevereiro 25

Lupércio rebate acusações de perseguição política por Márcio Botelho

Professor Lupércio responde às críticas de Márcio Botelho, negando demissões em massa e lamentando busca por holofotes em detrimento dos desafios do município. Disputa política ganha novo capítulo.

Lupércio nega perseguição a Márcio Botelho. Foto - Léo Mota/Divulgação
Lupércio nega perseguição a Márcio Botelho. Foto – Léo Mota/Divulgação

O prefeito de Olinda, Professor Lupércio, enfrentou críticas do vice e ex-aliado, Márcio Botelho, em vídeo divulgado ontem (21) nas redes sociais. Botelho acusou Lupércio de perseguição política ao assinar a exoneração de todos os servidores comissionados lotados no gabinete da vice-prefeitura. A declaração gerou polêmica e promete agitar os bastidores políticos da Marim dos Caetés.

👥 Márcio Botelho, do PP, não poupou palavras ao responsabilizar o prefeito, do PSD, pela falta de conservação do prédio histórico que abriga a sede do Executivo municipal. O ex-aliado anunciou sua intenção de acionar Lupércio judicialmente, alegando motivos políticos para as exonerações.

🏛️ A prefeitura de Olinda, por sua vez, emitiu nota oficial negando as alegações de demissão em massa e rebateu as críticas, afirmando que “quaisquer ações de intervenção no espaço não foram realizadas por inércia do próprio vice-prefeito, que não solicitou o serviço ao setor responsável.”

Siga o canal “Fala News” no WhatsApp

Em meio à troca de acusações, a gestão municipal enfatizou seu compromisso com a estabilidade dos funcionários públicos e com a continuidade dos serviços prestados à população. Contudo, a controvérsia ganhou novo contorno quando Lupércio lamentou a postura de Márcio Botelho, acusando-o de buscar holofotes em detrimento dos desafios enfrentados pelo município.

“É lamentável que num município com tantos desafios, o vice-prefeito empregue seu tempo na busca por holofote, utilizando todo tipo de expediente”, pontuou o prefeito.

🏢 A falta de conservação do prédio histórico, mencionada por Botelho, é agora um ponto de tensão na relação entre os dois políticos. A prefeitura esclareceu que as ações necessárias para a preservação do patrimônio não foram solicitadas pelo vice-prefeito, lançando um novo questionamento sobre a responsabilidade pela manutenção do edifício.

Enquanto as versões se chocam, a população de Olinda observa atentamente o desenrolar dessa disputa política. A judicialização anunciada por Márcio Botelho promete trazer novos capítulos ao embate, colocando em xeque a estabilidade política do município.

Em um momento em que os desafios municipais clamam por atenção e ação conjunta, a polarização política se destaca, deixando a população dividida entre apoiar a gestão atual ou acreditar nas alegações do vice-prefeito. Resta agora aguardar os desdobramentos judiciais e as próximas declarações dos envolvidos para compreender o desfecho desse episódio que, por ora, deixa Olinda em meio a um cenário de incertezas políticas e administrativas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *