domingo, abril 14

Márcio Botelho obtém liminar para readmissão de assessores

Liminar da Justiça determina o retorno de 12 assessores do gabinete de Márcio Botelho, exonerados pelo prefeito Professor Lupércio; Política local em destaque.

Vice-prefeito de Olinda Márcio Botelho. Foto - Walli Fontenele
Vice-prefeito de Olinda Márcio Botelho, segurando liminar. Foto – Walli Fontenele

Na tarde desta quinta-feira (23), o vice-prefeito de Olinda, Márcio Botelho (PP), anunciou uma vitória judicial, uma liminar concedida pela juíza Luciana Maranhão, da 1ª Vara da Fazenda de Olinda, que determina a readmissão dos 12 assessores exonerados por decisão do prefeito Professor Lupércio (PSD). Os cargos em questão incluem funções de assessoramento, direção e chefia.

O ofício com a decisão será entregue ao prefeito Lupércio nesta sexta-feira (24). De acordo com Botelho, o gestor municipal terá um prazo de 10 dias para efetuar a reintegração dos cargos comissionados. O vice-prefeito ressalta que, caso o prefeito não cumpra a determinação, responderá judicialmente nas medidas previstas pela lei.

As exonerações, segundo Márcio Botelho, foram realizadas de forma gradativa a partir de março deste ano, coincidindo com sua manifestação de pré-candidatura à prefeitura de Olinda. O vice-prefeito relata que a situação culminou na demissão da última funcionária de seu gabinete na terça-feira (21), resultando em um dia sem atividades no local.

Siga o canal “Fala News” no WhatsApp

Botelho alega que a decisão do prefeito Lupércio foi precedida por pressões para que desistisse de sua candidatura em favor da candidata do prefeito, Mirella Almeida, atual secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Tecnologia. O vice-prefeito afirma que, diante de sua recusa, retaliações foram iniciadas, como a retirada de sua voz em inaugurações, cortes de microfone e exclusão de sua presença em fotos oficiais e agendas oficiais.

“Ele deixou claro que ou eu caminhava junto dele e da futura candidata dele ou a gente estava rompido. Então não adiantava eu procurar o prefeito”, disse Botelho.

Com documentos comprobatórios em mãos, incluindo a liminar e os atos de exoneração assinados por Lupércio e publicados no Diário Oficial de Olinda, o vice-prefeito destacou não apenas as demissões, mas também problemas estruturais em sua sala. Ele alega que a gestão de Lupércio teria perdido R$ 49 milhões do PAC Cidades Históricas devido à má execução do valor, resultando no retorno do montante ao Governo Federal.

Diante desse cenário político tenso, a cidade de Olinda observa atentamente os desdobramentos dessa batalha judicial entre o vice-prefeito Márcio Botelho e o prefeito Professor Lupércio, que prometem impactar o cenário político local nas próximas semanas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *