sexta-feira, junho 21

Lula expressa apoio a Padre Julio Lancelloti diante de possível CPI em São Paulo

Presidente Lula destaca trabalho social do religioso enquanto vereadores buscam investigá-lo; Proposta enfrenta fila de CPIs e só deve ir a plenário em fevereiro.

Padre Júlio Lancelloti e o presidente Lula. Foto - Ricardo Stuckert
Padre Júlio Lancelloti e o presidente Lula. Foto – Ricardo Stuckert

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva utilizou suas redes sociais na quinta-feira (4) para expressar apoio ao Padre Julio Lancelloti, envolto em uma possível investigação por meio de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Câmara Municipal de São Paulo. Sem fazer menção direta à CPI, Lula destacou o trabalho do religioso, conhecido por sua dedicação a pessoas em situação de rua na região da Cracolândia.🔍

“Graças a Deus a gente tem figuras como o Padre Julio Lancelloti, na capital de São Paulo, que há muitos e muitos anos dedica a sua vida para tentar dar um pouco de dignidade, respeito e cidadania às pessoas em situação de rua. Que dedica sua vida a seguir o exemplo de Jesus. Seu trabalho e da Diocese de São Paulo são essenciais para dar algum amparo a quem mais precisa”, escreveu Lula, acompanhado por uma foto dos dois abraçados.

Enquanto isso, o cenário político paulistano se movimenta com o requerimento para a criação de uma CPI que visa investigar Organizações Não Governamentais (ONGs) atuantes na região da Cracolândia. O documento, protocolado em 6 de dezembro do ano passado, já obteve as assinaturas necessárias, mas a instalação imediata não é garantida. Com a fila de outras propostas, a votação em plenário deve ocorrer somente em fevereiro, após o recesso legislativo.

📲Siga o canal “Fala News” no WhatsApp

O autor da CPI, o vereador Rubinho Nunes (União Brasil), ligado ao Movimento Brasil Livre (MBL), foca sua proposta na atuação de Padre Lancellotti. O movimento A Craco Resiste também será alvo da investigação. Em suas redes sociais, Nunes acusa o religioso e outros de lucrarem politicamente com a situação caótica na Cracolândia. Ele afirma que a CPI vai desvendar a “máfia da miséria” perpetuada por ONGs de viés esquerdista.

Em resposta, Padre Julio Lancellotti declarou que, embora reconheça a legitimidade das CPIs, sua atuação não se vincula a nenhuma organização que utilize convênio com o Poder Público Municipal. A Pastoral de Rua, na qual está envolvido, é uma ação pastoral da Arquidiocese de São Paulo, conforme esclareceu.

📲Siga nosso perfil no Instagram

Por sua vez, o movimento A Craco Resiste esclareceu que não é uma ONG, mas um projeto de militância que busca resistir contra a opressão, atuando na redução de danos e denunciando a política de truculência promovida pela prefeitura e governo estadual.

O embate entre apoio e investigação revela um panorama complexo, onde as ações sociais se entrelaçam com questões políticas, evidenciando a necessidade de uma análise criteriosa para garantir a transparência e a eficácia nas investigações propostas pelos órgãos competentes. 🕊️🤝🔍

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *