domingo, fevereiro 25

Estudantes encontram larvas e objetos estranhos em merenda de escola pública em Pernambuco

Denúncias de alunos incluem cabelo, tachinha de metal e falta de higiene

Recife
Foto: Reprodução/G1
Alunos da Escola Técnica Estadual Dom Bosco, localizada no bairro de Casa Amarela, na Zona Norte do Recife, vivenciaram momentos de indignação e preocupação ao encontrar larvas, cabelos e até tachinhas de metal em suas refeições escolares. A denúncia, acompanhada de fotos, foi enviada para o Globo.
Emilly Beatriz Mendes Miranda, de 16 anos, aluna do 1º ano do ensino médio na escola, relatou a desagradável experiência: “Eu encontrei cabelo, aí peguei o prato de comida e fui levar para as tias da merenda. E elas disseram que foi a gente que colocou e não podiam fazer nada. A gente levou para a gestão, e a gestora disse que a nutricionista ia vir. Ela veio ontem [quarta], mas não fez nada, só mexeu a panela e foi embora. É um absurdo porque a gente não é um animal para estar comendo isso e nem um animal come isso. Larva na comida, a gente achou um parafuso, imagina se um menino engolisse?”
A Escola Técnica Estadual Dom Bosco, que funciona em tempo integral e ensina marketing e publicidade, possui 427 alunos. Diariamente, são servidas três merendas na escola: um lanche de manhã, o almoço e um lanche no turno da tarde. Além dos problemas com a qualidade da comida, os estudantes também relataram preocupações com gatos que circulam livremente na escola, incluindo o refeitório, tornando a situação ainda mais insalubre.
“Os gatos estão doentes. Aí fica muito pelo de gato onde a gente come. Cheiro de fezes lá atrás. Fica ruim para a gente. Se fosse uma coisa temporária, eu acho que a gente até aceitaria, mas é uma coisa recorrente. Desde o começo do ano que eles estão aí. Aí fica pelo de gato, e eles não higienizam direito o local e fica complicado para a gente comer”, afirmou Alice Marrie da Silva Alves, de 15 anos, outra aluna do 1º ano do ensino médio.
Devido a esses problemas, alguns estudantes optaram por não se alimentar na escola. A Secretaria de Educação e Esportes de Pernambuco, ao ser contatada pela Globo, informou que a gestão da Escola Técnica Estadual Dom Bosco está ciente das ocorrências na merenda dos alunos e notificou a empresa responsável pelo fornecimento das refeições. 
Uma equipe de nutricionistas esteve na escola e constatou que os produtos, como os fardos de arroz, estavam dentro do prazo de validade. Testes de cozimento dos alimentos não encontraram larvas, mas a instituição se comprometeu a tomar medidas para solucionar os problemas relatados pelos alunos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *