segunda-feira, junho 17

Acompanhantes de paciente do Hospital da Restauração sofrem com descaso público, no Recife

Desde 2021, pessoas em situação de rua e acompanhantes de pacientes são vistos dormindo na frente do hospital

Hospital da Restauração
Foto: Reprodução/TV Globo
A situação do Hospital da Restauração (HR), localizado na área central do Recife, vive uma grave situação de descaso com acompanhantes dos pacientes e na estrutura. O local que é referência de tratamento no Nordeste, com mais de 6.000 atendimentos e 800 cirurgias por mês, enfrenta diversos problemas.
Uma das principais denúncias das pessoas que precisam ir ao HR é a falta de estrutura para receber os acompanhantes, que, como não tem lugar para ficar, dormem ao lar livre, na porta da emergência do hospital.
Alcione Ferreira, mãe de uma paciente que está na área laranja, de atendimento urgente, não teve permissão para acompanhar a filha dentro do hospital. “Uma menina de 15 anos e eu não posso acompanhar minha filha. É um absurdo”, desabafou.
Outros familiares se encontram na mesma situação, inclusive pessoas em situação de rua que vivem na porta da unidade para tentar conseguir um pouco de segurança, já que parte do local é coberto e com presença constante de viaturas. Mesmo assim, quando chove o a água se acumula e escorre para perto das pessoas, piorando a situação, além do frio.
Essa situação começou em 2021, mas até agora nada foi feito para ajudar as pessoas. Muitos dos acompanhantes que esperam do lado de fora vieram de outro estado, alguns deles sem fazer ideia do estado que se encontrava o hospital. Marinalva da Silva veio da Bahia com a mãe que sofreu um AVC e denuncia a falta de materiais para os pacientes. “Não tinha cobertor para minha mãe”.
Além disso, os acompanhantes não têm nenhuma ajuda com a alimentação. “Às vezes a gente deixa de almoçar para conseguir almoçar”, disse Gildete Gomes, que está há dias em frente ao hospital esperando o irmão, que está internado.
Outra acompanhante, Vânia Gonçalves reclama das condições de higiene do local. “O banheiro masculino está fechado. Homens e mulheres usam o mesmo banheiro que está muito sujo”, disse. Ela ainda desabafa sobre a situação que tem vivido: “cai a ficha da realidade do Brasil e de Pernambuco, infelizmente”.
A secretária estadual de Saúde de Pernambuco, Zilda Cavalcante, falou sobre o caso do HR, destacando a importância que a instituição tem para o Nordeste. Além disso, ela falou sobre a logística do hospital que proibi acompanhantes para pacientes que estão em áreas vermelhas e em outras situações graves.
Sobre a falta de auxílio para os acompanhantes e pessoas em situação de rua, Zilda respondeu que “os municípios deveriam prover casas de apoio, não só na Restauração”. A secretaria não falou como sobre as responsabilidades do estado ou como poderia solucionar esse caso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *