terça-feira, maio 21

Crianças com menos de 10 anos correspondem a 47% dos casos de síndrome respiratória aguda grave em Pernambuco

Até agora, 21 óbitos decorrentes de complicações da doença foram registrados, sendo dois de crianças


Foto: Divulgação/EBC
Pernambuco registrou, até o momento, 151 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em 2023. Dentre esse número, 47%, correspondente a 71 casos, são de crianças entre 0 e 9 anos de idade, sendo 59 na faixa de 0 a 5 anos.

Dos 151 casos hospitalizados, 21 não resistiram à infecção e vieram a óbito, incluindo 2 crianças com até cinco anos. Segundo os dados do boletim epidemiológico, divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), a maioria dos doentes foi infectada pelo vírus da influenza tipo B, totalizando 105 casos.

As outras contaminações foram identificadas como decorrentes da influenza A H1N1, e 1 caso foi de influenza sem identificação do tipo de vírus. A soma total é de 154 casos, o que pode ser explicado por ocorrência simultânea de dois vírus.

A SES-PE alerta para o alto número de contaminações em crianças e para a situação de emergência de saúde decretada pelo governo de Pernambuco em 20 de junho. A meta de vacinação para o estado era de 90%, mas está longe de ser alcançada.

A vacinação é essencial para a prevenção e redução de casos graves da doença. Apenas 60,80% do público de até 5 anos foi vacinado no estado. De acordo com a SES-PE, até a semana epidemiológica 24, encerrada em 17 de junho deste mês, foram registrados 1.785 casos de SRAG (por várias causas) em crianças de até 5 anos, com 39 óbitos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *