sábado, fevereiro 24

BNDES lança iniciativa para impulsionar indústria naval, descarbonização e pesquisa marinha


O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lançou nesta quarta-feira (24) a iniciativa BNDES Azul, que terá quatro frentes de atuação.

BNDES Azul tem o mar como centro de estratégia de desenvolvimento. Foto - Tomaz Silva
BNDES Azul tem o mar como centro de estratégia de desenvolvimento. Foto – Tomaz Silva

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) apresentou nesta quarta-feira (24) a BNDES Azul, uma iniciativa que promete redefinir o cenário econômico e ambiental do país. Com foco na economia azul, a proposta engloba quatro frentes estratégicas para impulsionar o setor marítimo brasileiro. 🌊

O destaque da cerimônia foi a assinatura do contrato para o Planejamento Espacial Marinho (PEM) da costa brasileira, sendo a Região Sul a primeira contemplada. O estudo, com investimento de R$ 7 milhões e prazo de 36 meses, visa mapear os usos atuais e potenciais do ambiente marinho na região, abrangendo instituições de pesquisa e cinco dos principais portos do Brasil. A Região Sudeste também está no radar, com recursos de R$ 12 milhões disponíveis, e inscrições abertas até 15 de março.

Além do PEM, o BNDES disponibiliza uma carteira robusta de R$ 22 bilhões para impulsionar a economia azul. Destes, R$ 13,6 bilhões são destinados a projetos de docagem, embarcações, estaleiros e navios petroleiros, enquanto R$ 7,7 bilhões são voltados para transporte marítimo, portos, terminais e embarcações. Setores como turismo marinho e recuperação de manguezais também recebem aporte financeiro significativo, evidenciando o compromisso com a preservação ambiental.

📲Siga o canal “Fala News” no WhatsApp

O presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, ressaltou a importância estratégica da iniciativa para o fortalecimento da indústria naval e a promoção de pesquisas marinhas. “Os interesses nos oceanos são decisivos para o futuro, especialmente para um país com 8,5 milhões de quilômetros de costa”, afirmou Mercadante.

Descarbonização e Estímulo à Inovação 🚢

Com ênfase na descarbonização da frota naval, Mercadante destacou que 95% das exportações brasileiras são realizadas por navios. Projetos de construção de embarcações podem contar com reduções significativas nas taxas de juros, impulsionando a modernização e sustentabilidade do setor. O BNDES visa não apenas impulsionar a indústria, mas também colocar o Brasil em posição de destaque no cenário internacional, reativando estaleiros nacionais e superando erros do passado.

Na área de infraestrutura portuária, o BNDES oferece linhas de financiamento favoráveis, com prazos de até 34 anos, alinhados ao novo ciclo de investimentos portuários estimado em R$ 45 bilhões. O compromisso do banco é claro: “Nosso objetivo não é o lucro imediato, é o desenvolvimento do Brasil”, afirmou Mercadante.

📲Siga nosso perfil no Instagram

Sustentabilidade e Inovação Ambiental 🌱

A BNDES Azul não apenas visa impulsionar a economia marítima, mas também promover a sustentabilidade. Projetos relacionados à descarbonização e inovação podem contar com reduções nas taxas de juros, incentivando práticas ecoeficientes e responsabilidade socioambiental.

O Fundo Clima, como parte da iniciativa Floresta Viva em parceria com a Petrobras, destina R$ 47 milhões para projetos de recuperação de manguezais, protegendo a vida marinha. A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, destacou a importância de políticas públicas baseadas em evidências científicas, ressaltando o compromisso com o conhecimento do oceano e seus recursos.

Perspectivas Futuras e Compromisso Ambiental 🌏

Com a Organização Marítima Internacional (IMO) planejando a descarbonização das emissões de navios até 2025, o Brasil se prepara para liderar a produção de navios com combustíveis sustentáveis até 2030. O compromisso ambiental e a inovação tecnológica são pilares fundamentais da BNDES Azul, que busca criar um novo ciclo de prosperidade, unindo desenvolvimento econômico, social e ambiental.

O oceano, agora prioridade na agenda climática, é visto como um ativo estratégico para o país. A ministra Luciana Santos, da Ciência, Tecnologia e Inovação, destacou a importância do programa Ciência no Mar e do recém-criado Instituto Nacional de Pesquisa Oceânica, que promete impulsionar pesquisas e otimizar o uso dos navios brasileiros. O Brasil, ao cuidar de suas riquezas naturais, pode inaugurar um ciclo de desenvolvimento sustentável e inovação, contribuindo para o equilíbrio global. 🇧🇷✨

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *