segunda-feira, junho 17

Arquidiocese arquiva investigação sobre padre; MPSP conclui falta de materialidade

Após análise, Arquidiocese de SP arquiva caso envolvendo padre Júlio Lancellotti; vídeo de conteúdo sexual é considerado falso pelo advogado.

Arquidiocese de SP arquiva investigação sobre padre Júlio Lancellotti. Foto- Rovena Rosa
Arquidiocese de SP arquiva investigação sobre padre Júlio Lancellotti. Foto- Rovena Rosa

A Arquidiocese de São Paulo tomou a decisão de arquivar a investigação relacionada ao padre Júlio Lancellotti, figura conhecida da Pastoral de Rua na capital paulista. O caso envolve um vídeo de conteúdo sexual que teria sido divulgado em 2020. A entidade religiosa alega que não alcançou convicção suficiente sobre a materialidade da denúncia e considerou as conclusões do Ministério Público de São Paulo (MPSP) e da Justiça Paulista. Essa decisão foi comunicada à Santa Sé por meio de uma nota oficial.🤔📑

“A Arquidiocese de São Paulo, não chegando à convicção suficiente sobre a materialidade da denúncia e considerando as conclusões do MPSP [Ministério Público de São Paulo], bem como da Justiça Paulista, também decidiu pelo arquivamento e informou a Santa Sé”, diz a nota da organização.🕊️

O advogado de Júlio Lancellotti, Luiz Eduardo Greenhalgh, alega que se trata de uma montagem, um vídeo fake (falso). O vídeo em questão foi entregue ao presidente da Câmara Municipal de São Paulo, Milton Leite (União Brasil), no início de janeiro, pelo vereador Rubinho Nunes, do mesmo partido. Nunes é o autor do requerimento de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) que pretende investigar o padre Lancellotti, bem como organizações sociais que apoiam pessoas em situação de rua no centro de São Paulo.. 🌐

📲Siga o canal “Fala News” no WhatsApp

O material, que contém uma suposta videochamada entre um homem alegadamente sendo o padre e um rapaz menor de idade, foi entregue à Cúria Metropolitana na última segunda-feira (22) e também foi levado ao Ministério Público. Ambos os órgãos conduziram investigações, com o MPSP concluindo que não há materialidade na denúncia, resultando no arquivamento do inquérito.

A Arquidiocese destaca em seu comunicado que permanece atenta a elementos verdadeiros sobre os fatos denunciados, mantendo distância de interesses ideológicos e políticos. Essa posição reforça o compromisso da instituição em garantir uma análise imparcial dos acontecimentos, afastando-se de possíveis influências externas.

📲Siga nosso perfil no Instagram

A repercussão política do caso também se faz presente. Sete vereadores paulistanos que inicialmente apoiaram a instauração da CPI já retiraram seu apoio. Os parlamentares afirmam terem sido enganados pelo autor da CPI, já que o texto não mencionava o padre Júlio Lancellotti. Esse revés evidencia a complexidade e a sensibilidade do tema, que envolve não apenas a figura religiosa, mas também questões políticas e sociais.

Em meio a esse cenário, a busca pela verdade e a defesa da justiça permanecem como pilares essenciais. O desfecho desse episódio destaca a importância de uma abordagem cuidadosa e imparcial em casos que envolvem personalidades públicas, respeitando os princípios da justiça e promovendo um debate construtivo sobre os desafios enfrentados pela sociedade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *