domingo, julho 21

Vereador Léo Giestosa critica projeto de empréstimo de R$60 milhões pelo prefeito em Gravatá

Léo Giestosa (PTB) expressa preocupação com falta de estudo financeiro e finalidade do empréstimo, pedindo cautela aos vereadores.

O vereador Léo Giestosa, conhecido por sua postura crítica a gestão atual.
O vereador Léo Giestosa, conhecido por sua postura crítica a gestão atual. Foto: Divulgação

O vereador Léo Giestosa, membro da bancada de oposição do município de Gravatá. Se pronunciou de forma contundente contra o projeto de Lei n° 030/2023. Apresentado pelo prefeito Padre Joselito, do PSB, que visa obter autorização da Câmara Municipal para um empréstimo de R$ 60 milhões. O posicionamento de Giestosa gerou um debate público sobre a necessidade e os impactos financeiros do empréstimo proposto.

O vereador Léo Giestosa, conhecido por sua postura crítica. Manifestou sua preocupação com a ausência de um estudo detalhado que demonstre como o empréstimo afetaria as finanças do município.

Ele destacou que a prefeitura de Gravatá arrecadou um total de R$ 660.055.420,98 em receitas desde o início da gestão do prefeito Padre Joselito em 2021. Giestosa levantou questionamentos sobre a necessidade urgente dos R$ 60 milhões, especialmente em um ano eleitoral. E instou os demais vereadores a considerarem o impacto desta medida.

Em uma nota compartilhada em suas redes sociais, o vereador escreveu. “É de extrema importância que tenhamos clareza sobre como este empréstimo será utilizado e quais serão suas implicações financeiras para Gravatá. A ausência de um estudo prévio nos deixa no escuro quanto aos riscos envolvidos. Devemos ser conscientes e não compactuar com essa aberração. Pois sabemos que o povo é quem vai pagar muito caro.” Giestosa enfatizou a necessidade de transparência e responsabilidade no processo decisório.

Por outro lado, o prefeito Padre Joselito defende o projeto de empréstimo como uma medida necessária para alavancar o desenvolvimento do município. Segundo ele, os recursos seriam destinados a investimentos em infraestrutura, educação, saúde e outras áreas críticas. O prefeito ressaltou a importância de buscar fontes de financiamento para impulsionar o crescimento da cidade.

Projeto que solicita empréstimo de 60 milhões pela prefeitura de Gravatá
Projeto que solicita empréstimo de 60 milhões pela prefeitura de Gravatá. Foto: Divulgação

A questão do empréstimo tem gerado divergências entre os apoiadores do prefeito e os críticos da medida. Enquanto alguns argumentam que a cidade precisa de investimentos significativos para melhorar a qualidade de vida da população. Outros compartilham as preocupações levantadas pelo vereador Giestosa. Destacando a importância de garantir que o dinheiro seja utilizado de maneira eficaz e responsável.

O projeto de lei que autoriza o empréstimo de R$ 60 milhões ainda está em fase de discussão na Câmara Municipal. Onde os vereadores analisarão todos os aspectos da proposta antes de tomar uma decisão final. A população de Gravatá está acompanhando de perto esse debate, buscando entender os possíveis impactos nas finanças municipais e no futuro da cidade.

Diante da polarização de opiniões e das incertezas em relação ao destino dos recursos. É essencial que os representantes eleitos e as autoridades municipais conduzam uma análise cuidadosa e transparente do projeto. Priorizando o interesse da comunidade de Gravatá. O vereador Léo Giestosa, ao expressar suas preocupações, contribui para o debate democrático, que é fundamental em uma democracia saudável. A decisão final sobre o empréstimo deverá ser tomada após uma análise minuciosa de todos os aspectos envolvidos. Visando o melhor para a cidade e seus habitantes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *