segunda-feira, junho 17

STF autoriza depoimento de delegado preso por caso Marielle

Decisão do STF determina que Polícia Federal deve ouvir o delegado Rivaldo Barbosa em até cinco dias. Garantindo seus direitos constitucionais.

STF autoriza PF a ouvir o delegado da Polícia Civil do Rio de Janeiro Rivaldo Barbosa.
STF autoriza PF a ouvir o delegado da Polícia Civil do Rio de Janeiro Rivaldo Barbosa. Foto: Tomaz Silva

Na segunda-feira (27), o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou o depoimento do delegado da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Rivaldo Barbosa, atualmente preso em função das investigações sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco. 🕵️‍♂️

Moraes estabeleceu que a Polícia Federal (PF) tem um prazo de cinco dias para realizar a oitiva. Ele destacou que os investigadores deverão assegurar o direito ao silêncio e a garantia de não incriminação para o delegado Barbosa. 🗣️

A decisão veio após o delegado, na semana passada, fazer um pedido manuscrito para ser ouvido pela PF. Em sua solicitação, Barbosa apelou “pelo amor de Deus” e “por misericórdia” para prestar depoimento, mostrando desespero diante das acusações. 📝

Além de Rivaldo Barbosa, o conselheiro do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro, Domingos Brazão, e o deputado federal Chiquinho Brazão (União-RJ) foram denunciados pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por homicídio e organização criminosa. Todos estão presos por determinação de Moraes, devido ao suposto envolvimento no assassinato da vereadora e de seu motorista, Anderson Gomes. 🚓

📲Siga nosso perfil no Instagram

Segundo as investigações, o ex-chefe da Polícia Civil teria dado orientações, a mando dos irmãos Brazão, para a realização dos disparos contra Marielle e Anderson. 🔫

Contexto das acusações e envolvimentos no assassinato da vereadora Marielle Franco

Após a apresentação da denúncia, a defesa de Rivaldo Barbosa questionou a credibilidade dos depoimentos de delação premiada do ex-policial militar Ronnie Lessa, réu confesso do assassinato. Lessa apontou Barbosa e os irmãos Brazão como participantes do crime, o que gerou controvérsias e dúvidas sobre a veracidade das alegações.

A defesa de Barbosa alega que os depoimentos são insuficientes e questionam a imparcialidade das delações premiadas, pois acreditam que os relatos foram manipulados para obter vantagens judiciais. Contudo, a justiça mantém a decisão com base nas evidências apresentadas. ⚖️

Moraes ressaltou que as práticas investigativas devem seguir rigorosamente os princípios constitucionais, garantindo a Barbosa todos os direitos previstos na lei. Por causa dessa diretriz, a PF deverá conduzir a oitiva com transparência e respeito aos procedimentos legais. 📜

Em suma, o depoimento do delegado Rivaldo Barbosa deverá ocorrer dentro do prazo estipulado, respeitando as garantias fundamentais. As investigações continuam e a justiça brasileira busca esclarecer todos os detalhes desse caso complexo e de grande repercussão nacional. 🕵️‍♀️

📲Siga o canal “Fala News” no WhatsApp

O assassinato de Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes gerou comoção em todo o país, pois evidenciou a vulnerabilidade de defensores dos direitos humanos e ativistas políticos. A resolução desse caso é aguardada com grande expectativa pela sociedade brasileira, que clama por justiça e transparência nas investigações. 🇧🇷

Contudo, o desfecho ainda depende de diversas etapas judiciais e da apuração minuciosa de todas as provas e depoimentos. Então, a sociedade espera que a verdade prevaleça e que os responsáveis sejam devidamente punidos. ⚖️

O caso Marielle Franco segue como um dos mais emblemáticos e sensíveis da história recente do Brasil. O depoimento do delegado Rivaldo Barbosa, autorizado pelo ministro Alexandre de Moraes, é mais um capítulo dessa investigação que busca esclarecer os fatos e garantir justiça. 🕊️

A justiça brasileira tem o dever de garantir um julgamento justo, observando todos os direitos constitucionais dos envolvidos. Porque somente assim será possível restaurar a confiança da sociedade nas instituições e na democracia. 🗳️

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *