segunda-feira, abril 15

Produtos de origem animal impulsionam recorde na pecuária brasileira

Valor da produção atinge R$ 116,3 bilhões, com destaque para crescimento do rebanho e preço do leite.

Pecuária
Foto: Reprodução
No ano de 2022, a produção de produtos de origem animal, incluindo leite de vaca, ovos de galinha, mel de abelha e outros, desempenhou um papel crucial no crescimento da pecuária brasileira, registrando um valor total de produção de R$ 116,3 bilhões. Esses dados, que representam um aumento de 17,5% em relação ao ano anterior, foram divulgados nesta quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) por meio da Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM).
Um dos principais recordes atingidos pelo Brasil foi o número de cabeças de gado, que totalizou 234,4 milhões de animais ao final de 2022, um crescimento de 4,3% em comparação com o ano anterior. Mato Grosso lidera como o maior estado produtor, com 34,2 milhões de cabeças, o equivalente a 14,6% do total nacional.
A região Centro-Oeste se destacou como a principal produtora de gado, com um total de 77,2 milhões de animais. No entanto, o maior aumento de rebanho foi registrado na região Norte, impulsionado pelos pastos de estados como Rondônia, Pará, Tocantins e Acre.
Apesar de Mato Grosso liderar o ranking nacional, o município de São Félix do Xingu, no Pará, se destaca com um rebanho de 2,5 milhões de animais, sendo que a cidade possui apenas 65.418 habitantes de acordo com o Censo 2022, o que significa que o número de cabeças de gado é 38 vezes maior que a população local.
Em contraste, a produção de leite registrou uma diminuição de 1,6% no ano passado, totalizando 34,6 bilhões de litros. O IBGE atribui essa redução ao aumento dos custos de criação de vacas, o que levou pequenos produtores a abandonar a atividade em favor do arrendamento de terras para a produção de grãos, uma atividade em expansão em algumas partes do país.
As regiões Sul e Sudeste se destacaram como as maiores produtoras de leite, sendo responsáveis por um terço da produção nacional cada uma. Minas Gerais lidera como o maior estado produtor, com 9,4 bilhões de litros, correspondendo a 27,1% do total nacional. O município de Castro, no Paraná, conquistou a primeira posição a nível municipal, com uma produção de 426,6 milhões de litros.
Apesar da diminuição na produção de leite, o valor total da produção aumentou 17,7%, atingindo R$ 80 bilhões. Isso se deve, em grande parte, ao aumento do preço médio pago ao produtor, que alcançou R$ 2,31, representando um aumento de 19,7% em relação ao ano anterior. Vale ressaltar que esse não é o preço final para o consumidor, uma vez que ainda são adicionados custos como frete, intermediários e margens de lucro dos estabelecimentos de venda.
Segundo a pesquisa do IBGE, o preço do leite continuou em crescimento ao longo de 2022, devido à baixa oferta do produto, que gerou uma competição mais acirrada entre os laticínios, resultando em cotações recordes durante o terceiro trimestre do ano e aumento das importações ao longo do período.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *