terça-feira, maio 28

Presidentes dos sindicatos dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem e dos Bombeiros Civis reforçam união em defesa dos trabalhadores

Sintenpe
Foto: Divulgação 
Os presidentes dos sindicatos dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem de Pernambuco (Satenpe), Francis Herbert e dos Bombeiros Civis de Pernambuco (Sindbombeiros-PE), Eduardo Silva, se reuniram nesta sexta-feira (17/03), para debater sobre a contratação temporária dos Técnicos de Enfermagem que são bombeiros civis e militares, realizada pela Prefeitura do Recife, em substituição aos trabalhadores da enfermagem de nível médio das redes municipal e privada que estão em greve. Na oportunidade, os representantes das categorias reforçaram união em defesa dos profissionais.
O presidente do Sindbombeiros- PE, Eduardo, informou que a contratação ocorreu por meio do segmento privado, sem diálogo da Prefeitura com o sindicato. E, essa medida da gestão municipal, segundo ele, pode ter descumprido a Lei Federal n°11.901/2009 que estabelece as diretrizes da profissão, acarretando em um possível exercício irregular do cargo. Um ofício foi protocolado na Secretaria de Saúde, solicitando uma reunião com representantes do Governo Municipal e da administração do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) para maiores esclarecimentos.
“Reconhecemos a importância dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem para a sociedade pernambucana e, diante da situação que envolveu a nossa categoria, aguardamos um posicionamento dos órgãos”, afirmou Eduardo.
O presidente do Satenpe, Francis, explicou que tomará as medidas necessárias caso a Prefeitura do Recife tenha desrespeitado o Código de Ética da profissão e, também, a Lei de Greve que não permite a gestão realizar novas contratações enquanto durar o movimento grevista.
“Nos reunimos com o Sindbombeiros-PE para esclarecer eventuais dúvidas dos trabalhadores sobre o nosso posicionamento em relação aos Bombeiros Civis e reforçar o desejo de unir forças, considerando a relevância dessas categorias. Juntos, vamos continuar com a nossa luta e exigir esclarecimentos da gestão sobre possíveis irregularidades”, destacou Francis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *