terça-feira, maio 21

Pernambuco não atinge meta de vacinação contra influenza, mas supera números do ano passado

Estado alcança cobertura de 68,03% entre grupos prioritários, ficando em quarto lugar no país

Foto: Divulgação SES
A campanha de vacinação contra a influenza em Pernambuco foi encerrada nesta sexta-feira (30), sem atingir a meta de 90% de cobertura estabelecida pelo Ministério da Saúde. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), o estado alcançou uma cobertura de 68,03%, superando ligeiramente os 67,06% do ano anterior.

Desde o início da campanha, em 10 de abril, Pernambuco aplicou 2.650.014 doses da vacina contra a gripe. Apesar de não ter atingido a meta desejada, o estado ficou em quarto lugar no ranking nacional, atrás apenas do Amapá (98,48%), o único a atingir a meta até o momento, Paraíba (85,88%) e Maranhão (68,69%).

Dados fornecidos pelos municípios indicam que 39 cidades pernambucanas alcançaram a meta de 90% de imunização dos grupos elegíveis.

A SES-PE destaca que, em 12 de maio, o Ministério da Saúde orientou os estados a ampliarem as ações de vacinação para a população a partir de 6 meses de idade. Considerando apenas os grupos prioritários, mais de 3,5 milhões de pessoas em Pernambuco poderiam receber a vacina.

A secretária estadual de Saúde, Zilda Cavalcanti, expressa preocupação com o fato de que, em pouco mais de dois meses de campanha, os municípios pernambucanos não atingiram a meta estabelecida para considerar a população protegida e conter a circulação do vírus no território. Ela destaca que essa tendência é observada em todo o país.

A baixa cobertura vacinal entre crianças também é ressaltada pela secretária, considerando a crise na saúde pública que levou o estado a decretar situação de emergência. Apenas 61,41% das crianças foram vacinadas, totalizando 481.391 doses aplicadas.

A vacinação continuará enquanto durarem os estoques remanescentes nos municípios. Jeane Tavares Torres, superintendente de Imunizações e Vigilância de Doenças Imunopreviníveis, enfatiza a importância de procurar o posto de saúde mais próximo para se proteger contra a gripe.

Grupos prioritários:
– Idosos: 68,98% (892.797 doses aplicadas)
– Crianças: 61,41% (481.391 doses aplicadas)
– Trabalhadores de saúde: 72,79% (188.789 doses aplicadas)
– Professores: 89,01% (91.372 doses aplicadas)
– Gestantes: 67,55% (63.845 doses aplicadas)
– Povos indígenas: 102,54% (38.787 doses aplicadas)
– Pessoas com comorbidades: (265.362 doses aplicadas)
– Outros grupos sem comorbidades: (535.746 doses

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *