segunda-feira, maio 20

Aeroporto do Recife sofre desvios e cancelamentos de voos devido à desativação do sistema de orientação de pousos

Passageiros enfrentam transtornos causados pela chuva intensa e falta do equipamento de auxílio à aterrissagem

Foto: Gabriel Ferreira

A desativação do sistema de orientação de pousos no Aeroporto Internacional do Recife continua causando problemas para os passageiros que chegam ou partem da capital durante períodos de chuva intensa. Somente na manhã desta sexta-feira (30/6), quando houve fortes chuvas na região metropolitana do Recife, nove voos foram desviados para outros terminais próximos.

De acordo com informações oficiais da Aena Brasil, responsável pela administração do Aeroporto do Recife, até às 9h30, os nove voos foram redirecionados para outros aeroportos, sendo que quatro têm previsão de retorno e três foram cancelados.

No entanto, a Aena não menciona a desativação do sistema de orientação de pouso por equipamento, que auxilia os pilotos a realizarem a aterrissagem em condições de chuva intensa e pouca visibilidade da pista.

“As equipes de operações estão monitorando a situação meteorológica. Recomendamos que os passageiros verifiquem o status do seu voo com a companhia aérea antes de saírem de casa”, afirma a Aena Brasil.

Desvios, cancelamentos e transtornos continuarão

Os passageiros que chegam ou partem do Aeroporto Internacional do Recife devem se preparar para atrasos e desvios de voos para aeroportos de estados vizinhos durante o período chuvoso na capital pernambucana.

Ainda não há previsão para a reativação do sistema de orientação de pouso por equipamento.

Os desvios e cancelamentos estão sendo ocasionados não apenas pelas chuvas, mas também devido à desativação do Sistema de Pouso por Instrumento (Instrument Landing System – ILS), um dispositivo fundamental para auxiliar os pilotos até que eles tenham contato visual com a pista de pouso.

Esse contato visual só é possível a partir de uma altura de 200 pés (equivalente a 61 metros). Até alcançar essa altura, o procedimento de pouso só pode ser realizado com o auxílio do ILS.

Sem conseguir aterrissar em dias chuvosos, uma vez que não contam com a orientação do equipamento, os pilotos são obrigados a arremeter a aeronave e direcioná-la para outros aeroportos da região, como tem ocorrido quase diariamente quando chove, principalmente com voos que teriam como destino o Aeroporto do Recife.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *