sexta-feira, abril 19

Outono no Brasil traz temperaturas elevadas

Institutos meteorológicos destacam influência do aquecimento global e transição do El Niño no outono, enquanto previsões indicam variação nas precipitações pelo país.

Outono no Brasil traz temperaturas elevadas e previsões divergentes de chuvas
Outono no Brasil traz temperaturas elevadas e previsões divergentes de chuvas. FOTO: ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM

O outono iniciou sua jornada pelo Hemisfério Sul à 0h06 (horário de Brasília) desta quarta-feira (20), estendendo-se até o dia 21 de junho. Este ano, a estação se desenha com características marcantes, desde o enfraquecimento do fenômeno El Niño até previsões de temperaturas acima da média histórica em todas as regiões do país.🍂🌦️

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), os meses de abril, maio e junho prometem ser mais quentes em comparação com anos anteriores, exceto para o centro-sul do Rio Grande do Sul, onde as temperaturas devem permanecer dentro da normalidade.

Márcia Seabra, coordenadora-geral do Inmet, destaca que algumas áreas podem enfrentar um aumento de até 1 ou 2 graus na temperatura durante todo o período outonal. Para ela, o aquecimento global emerge como um fator determinante, superando até mesmo as influências do El Niño e La Niña.

📲Siga o canal “Fala News” no WhatsApp

“É mais plausível dizer que a temperatura está subindo por causa do aquecimento global e de mudanças climáticas. As temperaturas estão ficando muito elevadas – foi o que vimos no ano passado. Isso provavelmente deve ser algo ao qual nos adaptaremos: o aumento das temperaturas independentemente dos fenômenos El Niño ou La Niña”, explica Seabra.

O fenômeno El Niño, que atingiu seu ápice em dezembro do ano anterior, vem mostrando sinais de enfraquecimento nos últimos meses. A transição para uma condição mais neutra é esperada já no outono, conforme menciona a meteorologista. Durante o El Niño, há um aquecimento das águas do Oceano Pacífico, influenciando chuvas, ventos e temperaturas.

Por outro lado, no final do outono, há a possibilidade de o fenômeno La Niña se formar no Brasil, ganhando força no segundo semestre. Este fenômeno, caracterizado pelo resfriamento das águas do Pacífico, pode provocar chuvas abaixo da média na Região Sul e acima da média nas regiões Norte e Nordeste, conforme explica Márcia Seabra.

📲Siga nosso perfil no Instagram

Quanto às chuvas, espera-se que fiquem abaixo da média histórica na maior parte das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, especialmente devido aos impactos residuais do El Niño. Por outro lado, prevê-se um aumento das precipitações em algumas áreas do Sul e Sudeste, principalmente no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e sul de Minas Gerais.

No que diz respeito à produção agrícola, as previsões meteorológicas podem ter implicações significativas. No Matopiba, região que abrange partes do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, a previsão de chuvas abaixo da média pode afetar o plantio e as fases iniciais dos cultivos de segunda safra. Contudo, nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, a previsão de chuva acima da média pode beneficiar os cultivos de segunda safra.

Por fim, o outono deste ano não deve registrar geadas nas principais regiões produtoras de café, conforme indicado pelo Inmet. No entanto, os volumes de chuva previstos podem impactar tanto positiva quanto negativamente as operações agrícolas em diferentes partes do país.

O outono no Brasil se apresenta, assim, como uma temporada marcada por uma intersecção complexa de fatores climáticos, cujas consequências serão sentidas em diversos aspectos da vida cotidiana, desde a agricultura até o dia a dia das cidades. 🌱🌧️

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *