segunda-feira, junho 17

Noé Magalhães tem retorno a prefeitura negado pelo MPF

Parecer do Ministério Público Federal rejeita pedido de Noé Magalhães para voltar ao cargo e suspender medidas cautelares após prisão por corrupção.

MPF nega retorno do prefeito afastado Noé Magalhães
MPF nega retorno do prefeito afastado Noé Magalhães. Foto: Divulgação

O Ministério Público Federal (MPF) emitiu parecer desfavorável ao pedido do prefeito afastado de Água Preta, Noé Magalhães (PSB), que buscava retornar ao cargo e suspender as medidas cautelares impostas desde sua prisão em setembro do ano passado. O procurador regional da República, Roberto Moreira de Almeida, assina o documento que agora está nas mãos da desembargadora federal Joana Carolina Lins Moreira.

Noé Magalhães foi detido pela Polícia Federal em um apartamento de luxo na Avenida Boa Viagem, em setembro, acusado de corrupção, fraude em licitação, corrupção passiva e desvio de dinheiro público. Após quase dois meses de detenção no Cotel, teve seu pedido de retorno à Prefeitura negado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) em novembro.

O STJ, no entanto, concedeu a liberdade a Noé Magalhães, convertendo sua prisão preventiva em medidas cautelares. Estas incluem a proibição de deixar a comarca e de mudar de endereço sem autorização judicial, além da restrição de comunicação com outros investigados e testemunhas, e a impossibilidade de frequentar a prefeitura.

📲Siga o canal “Fala News” no WhatsApp

O parecer do MPF destaca a falta de razão no requerimento do prefeito afastado, reforçando a necessidade de manutenção das medidas cautelares. A decisão final sobre o acatamento do parecer caberá à desembargadora Joana Carolina Lins Moreira, com a expectativa de que a resposta seja conhecida no início da próxima semana.

A prisão de Noé Magalhães em setembro causou impacto na cidade de Água Preta e gerou questionamentos sobre a integridade na gestão pública local. A rejeição do pedido de retorno à prefeitura pelo STJ indicou a seriedade das acusações que pesam sobre o político, corroborando a decisão do Ministério Público Federal.

Em meio às investigações, a defesa de Noé Magalhães busca argumentos para reverter a situação, mas o parecer do MPF apresenta obstáculos significativos nesse caminho. A população aguarda com expectativa a decisão da desembargadora, que terá impacto direto no destino político da cidade.

📲Siga nosso perfil no Instagram

Diante do cenário atual, a imparcialidade é essencial para garantir a confiança da sociedade no desfecho do caso. O Blog de Ricardo Antunes, responsável pela divulgação exclusiva do parecer do MPF, continuará acompanhando os desdobramentos, mantendo o compromisso com a informação transparente e imparcial.

O desfecho do processo envolvendo Noé Magalhães será determinante para a estabilidade política em Água Preta e reforça a importância do sistema judiciário na preservação da integridade e ética no exercício do poder público. A sociedade aguarda atentamente por respostas que reflitam a busca por justiça e a preservação dos princípios democráticos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *