domingo, fevereiro 25

Gestão do prefeito Yves Ribeiro é a pior em saúde no estado de Pernambuco, aponta Ministério da Saúde

Paulista enfrenta graves problemas na saúde e corre o risco de perder verbas federais.

Yves Ribeiro
Foto: Blog Imagem
A administração do prefeito Yves Ribeiro (MDB) no município de Paulista, situado na Região Metropolitana do Recife, recebeu um duro golpe em pleno ano pré-eleitoral. Segundo dados divulgados recentemente pelo Ministério da Saúde (MS), referentes aos primeiros quatro meses de 2023, Paulista ocupa a última posição entre as 185 cidades do estado de Pernambuco no ranking da saúde.
De acordo com o relatório do governo federal, a gestão de Yves Ribeiro enfrenta sérios problemas na área da saúde, incluindo a baixa oferta de consultas e exames de hemoglobina glicada para pessoas com diabetes, a falta de consultas e serviços de aferição de pressão arterial para pacientes com hipertensão, e a ausência de coleta citopatológica na Atenção Primária para mulheres.
Outros indicadores alarmantes se relacionam com a assistência a gestantes: apenas 22% das mulheres grávidas tiveram acesso a atendimento odontológico durante a gestação, enquanto somente 25% conseguiram realizar exames para sífilis e HIV.
Embora Paulista esteja na 9ª posição entre as maiores economias do estado, a cidade tem enfrentado problemas crônicos na área da saúde nos últimos anos. Agora, com a má colocação no ranking do Ministério da Saúde e o não cumprimento das metas estabelecidas, o município corre o risco de perder até 70% dos recursos destinados à Secretaria de Saúde pelo governo federal, de acordo com o programa Previne Brasil.
Em resposta aos dados divulgados, a Prefeitura de Paulista emitiu uma nota alegando que “inexiste qualquer tipo de ranking oficial divulgado pelo Ministério da Saúde, onde os indicadores explanados em âmbito municipal consideram suas pluralidades, e seus resultados são distintos”. Além disso, a gestão de Yves Ribeiro afirmou que “o documento veiculado nas mídias não se trata de um resultado oficial do MS, pois empresas de consultoria vendem essas planilhas a fim de comercializar seus serviços”.
Entretanto, os números citados na reportagem podem ser facilmente verificados no site dos Painéis de Indicadores da Atenção Primária do Ministério da Saúde: sisaps.saude.gov.br/painelsaps.
A nota emitida pela gestão do prefeito Yves Ribeiro acaba evidenciando um problema ainda mais grave: um possível desconhecimento por parte do governo municipal acerca das ferramentas de controle do governo federal. Essa falha pode ter consequências significativas para os cofres públicos e, principalmente, para a população, que corre o risco de ser diretamente afetada pela falta de serviços básicos de saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *