segunda-feira, junho 17

Devolução da BR-232 para União não é simples como a governadora Raquel faz parecer

“Se o processo fosse fácil, não estava tramitando há tanto tempo na Justiça Federal”, comentou em entrevista o deputado Carlos Veras (PT).

Deputado Carlos Veras
Veras comentou a questão da BR-232
Foto:Ed Machado
Uma pendenga judicial que dura quase duas décadas pode atrapalhar os planos da governadora Raquel Lyra (PSDB) de devolver ao Governo Federal a concessão da BR-232 antes mesmo do término do prazo estabelecido, em 2027, como ela anda decidida a fazer.
“Se o processo fosse fácil, não estava tramitando há tanto tempo na Justiça Federal”, comentou em entrevista o deputado Carlos Veras (PT). O parlamentar lembra que, apesar do expresso interesse de Raquel em devolver a responsabilidade pela 232 à União, a rodovia foi construída com recursos da venda da Celpe, ou seja, com o dinheiro que, até hoje, os contribuintes pernambucanos pagam.
“A tarefa de duplicação da BR-232 de São Caetano até Arcoverde é de responsabilidade do Governo Federal. Agora, de São Caetano a Recife está sob a governabilidade de Pernambuco. A gente precisa chegar a um entendimento porque recursos públicos foram gastos para a construção e manutenção desta rodovia que é muito importante, inclusive, para o desenvolvimento de Pernambuco. O Governo do presidente Lula está à disposição da governadora para que se possa chegar a um entendimento”, explica Carlos Veras.
Segundo o parlamentar, Raquel Lyra foi eleita governadora apontando vários problemas de Pernambuco, portanto, não cabe após assumir, querer se esquivar desses problemas sem apontar uma solução, e muito menos não assumir o seu papel enquanto governadora.
“Não é jogando os problemas para outros entes da federação que vai se resolver. Se ela quer resolver, o Governo Lula está à disposição, pois somos parceiros de todos os Estados, independentemente da posição política, porque o que nos une é o bem-estar da população. Agora ela foi eleita governadora de Pernambuco para resolver os problemas do Estado. Ela precisa dar resposta a esses problemas, inclusive, da malha viária. Não dá para colocar a culpa apenas na gestão anterior, como ela tem feito”, argumenta o deputado.
Essa disposição, segundo Veras, ficou clara na última quarta-feira (07), quando o presidente Lula autorizou o Banco do Brasil a conceder um empréstimo de R$900 milhões para o Governo de Pernambuco investir na requalificação da malha viária do Estado.
“Esse empréstimo foi concedido para ela investir nas estradas e agora ela quer se livrar da responsabilidade sobre a 232, deixando para o Governo Federal? Se no acordo judicial ou por tratativas políticas, o Governo Federal assumir para ele essa responsabilidade, aí sim, a responsabilidade é do Governo Lula. No mais, ela representa o Estado e foi eleita para isso”, afirma Veras.
Ainda sobre todos os gestos de boa-fé feitos pelo Governo Lula a Raquel nesses últimos seis meses, Veras lembra da briga judicial envolvendo a União e o Governo de Pernambuco, solucionada com a gestão compartilhada. “É claro que a situação da BR-232 é muito mais séria, mas comprova a disposição do Governo Federal em ajudar Pernambuco. Até porque também não dá para estender uma briga judicial e a população continuar prejudicada”, pontua.
FolhaPe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *