segunda-feira, abril 15

Denúncia de assédio por professor em Escola de Pernambuco choca comunidade

Pais relatam casos de importunação sexual envolvendo 14 crianças.

Importunação Sexual
Foto: Reprodução/Google Street View
Pais de estudantes matriculadas na Escola de Referência em Ensino Fundamental e Médio Jesuíno Antônio D’Ávila, localizada no bairro João de Deus, em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, estão abalados com as denúncias de assédio sexual supostamente cometidas por um professor de educação física de 52 anos. O docente foi detido na segunda-feira (25) após os familiares das vítimas denunciarem os incidentes à Delegacia da Mulher, mas foi liberado no mesmo dia após uma audiência de custódia. De acordo com as acusações, 14 crianças teriam sido assediadas.
O relato dos pais é angustiante. Um dos padrastos de uma das vítimas, uma menina de 11 anos, compartilhou: “Minha enteada falou para minha esposa que o professor passou as mãos nas costas dela, passou as mãos nos braços, com carícias suaves e falou que ela já tinha idade para namorar porque ela é muito bonitinha.”
A mãe de outra vítima, também de 11 anos, afirmou que o professor teria alisado sua filha, passando a mão na cintura e no ombro. Ela acrescentou: “Ela explicou e falou para mim também, pessoalmente, que o professor puxou ela pela cintura na quadra, deu um aconchego nela na cintura, passou a mão no ombro dela, ficou alisando o cabelo dela, dizendo que ela era muito bonita, passando a mão no rosto dela e disse que ela não aparentava ter 11 anos, que ela era grande. Aí foi na hora que a outra aluna chegou. Quando a outra aluna chegou, ele empurrou ela e foi abraçar a outra aluna.”
Segundo relatos de outra mãe, o professor teria passado a mão nas partes íntimas da criança após ela receber uma bolada na barriga. A mãe dessa vítima descreveu o momento de horror: “Minha filha relatou para mim que recebeu uma bolada na barriga e ele arribou minha farda e ficou acariciando minha barriga e mandou as outras alunas irem buscar gelo. Quando as meninas saíram, ele botou a mão dele em minhas partes íntimas. Eu fiquei parada, em choque porque eu não sabia o que fazer, eu comecei a chorar.”
A Secretaria de Educação e Esportes de Pernambuco (SEE) emitiu uma nota informando que a gestão da Escola de Referência em Ensino Fundamental e Médio Jesuíno Antônio D’Ávila está acompanhando o caso e que as estudantes e a gestora da escola prestaram depoimento à polícia na segunda-feira. Além disso, a Gerência Regional de Educação (GRE) Sertão do Médio São Francisco enviou um analista de direito e uma psicóloga para ouvir as estudantes e a gestão da escola no dia seguinte.
A SEE reiterou seu repúdio a qualquer tipo de atitude que configure crime e afirmou que está à disposição da Polícia Civil para contribuir com as investigações, enfatizando seu compromisso com o bem-estar da comunidade escolar. A comunidade local aguarda ansiosamente por resultados concretos dessa investigação e ações efetivas para garantir a segurança das crianças na escola.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *