segunda-feira, julho 22

Comissão investiga prédios-caixão em Pernambuco

Comissão de Assuntos Sociais, liderada pelo senador Humberto Costa, avalia riscos e impactos dos imóveis na vida dos moradores.

Comissão de Assuntos Sociais, liderada pelo senador Humberto Costa, avalia riscos e impactos dos imóveis na vida dos moradores.
Comissão de Assuntos Sociais, liderada pelo senador Humberto Costa, avalia riscos e impactos dos imóveis na vida dos moradores. Foto: Reprodução/ Instagram João Paulo

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS), liderada pelo senador Humberto Costa (PT), está cumprindo uma agenda nesta quinta-feira em Pernambuco para investigar a situação dos prédios-caixão, um modelo de imóvel que se tornou um problema no Estado, afetando milhares de moradores há mais de 30 anos. Somente em 2023, dois edifícios desse tipo desabaram, gerando preocupações sobre a segurança dessas construções.

A comissão que realiza as diligências é composta por representantes de todos os Poderes, além de representantes de classe e do setor econômico. Entre os membros da comissão estão a ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos (PCdoB); a senadora Teresa Leitão (PT); os prefeitos de Paulista, Yves Ribeiro, e de Olinda, Professor Lupércio; a desembargadora federal Joana Carolina; o desembargador do Tribunal de Justiça de Pernambuco Erik Simões; e o presidente em exercício do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea), Clovis Correa de Albuquerque.

Além deles, estão presentes representantes do Ministério das Cidades, do Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep), da Caixa Econômica Federal, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), da Prefeitura do Recife e do Governo do Estado.

A visita da comissão ocorre em três edifícios-chave que levantaram preocupações sobre a segurança e a qualidade de vida dos moradores. O primeiro local a ser avaliado é o Conjunto Beira-mar, no Janga, em Paulista, onde um bloco desabou em julho deste ano, resultando em mortes e feridos. A tragédia abalou a comunidade local e gerou um clamor por ações concretas para evitar futuras ocorrências semelhantes.

O segundo edifício a ser inspecionado é o Edifício Juliane, localizado em Jardim Atlântico, Olinda. Por fim, a comissão visitará o Residencial Bosque das Madeiras, no Cordeiro, Recife. Os três locais são exemplos do problema dos prédios-caixão em Pernambuco, e a visita tem o objetivo de compreender a extensão dos riscos envolvidos e as possíveis soluções.

Os prédios-caixão são uma realidade preocupante em Pernambuco, afetando a vida de milhares de moradores que vivem sob a constante ameaça de desabamentos e problemas estruturais. O termo “prédio-caixão” refere-se a edifícios de grande porte, muitas vezes construídos de forma inadequada e em condições precárias. Essas construções representam uma séria ameaça à segurança e à qualidade de vida dos habitantes, criando um desafio crítico para as autoridades e a sociedade como um todo.

A comissão, ao realizar essas diligências, busca obter uma visão completa da situação, envolvendo aspectos de segurança, infraestrutura, regulamentação e a assistência necessária às famílias afetadas. A presença de representantes de diversos setores do governo e da sociedade civil mostra o comprometimento em abordar essa questão complexa de maneira abrangente.

Os moradores dos prédios-caixão em Pernambuco há muito aguardam uma resposta às suas preocupações e um plano eficaz para garantir sua segurança e qualidade de vida. A visita da Comissão de Assuntos Sociais representa um passo importante na direção de soluções concretas para esse problema persistente. A sociedade, agora, aguarda as conclusões e ações que resultarão dessas diligências para lidar com os desafios relacionados aos prédios-caixão no Estado de Pernambuco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *