segunda-feira, junho 17

20 dias de festa para celebrar o tradicional ciclo junino no Recife

Programação do São João do Recife de 2023 está prestes a começar; confira

são joão do recife



Foto:Edson Holanda


Agora é “alavantú, anarriê” e pode preparar o passeio na roça montada em plena capital! Conforme anunciado pelo prefeito João Campos(PSB), ao lado do secretário de Cultura Ricardo Mello e do presidente da Fundação de Cultura, Marcelo Canuto, o “Recife Junino”, que vai celebrar mais uma vez nossas coloridas e ancestrais tradições culturais, com os festejos mais nordestinos do calendário brasileiro. O ciclo homenageia três santos: Santo Antônio, São João e São Pedro. Além dos santos, Irah Caldeira e Jorge de Altinho são os artistas homenageados do São João do Recife 2023. Serão 20 dias de forró, xote, baião, coco, ciranda e muito balancê, com tudo que um arraial que se preze tem direito: quadrilha, sanfoneiro, arrasta-pé e alegria pra todo lado.
“Vão ser 20 dias de muita festa e celebração com a nossa premissa número um: a tradição propriamente representada na nossa cidade. A tradição tem que estar representada em todos polos, em todas as localidades. A gente precisa mostrar o nosso autêntico São João, São Pedro e Santo Antônio, nosso autêntico forró, que é a nossa força”, disse o prefeito durante o anúncio.
Nos palcos juninos, comandarão a festança recifense mais de 800 atrações, entre nomes que são sinônimo de festa animada, feito Alceu Valença, Elba Ramalho, Anastácia, Santanna, Petrúcio Amorim, Maciel Melo, Geraldinho Lins, Em Canto e Poesia, Quinteto Violado, Nando Cordel, Novinho da Paraíba, Coco dos Pretos, Ciranda Dengosa, Terezinha do Acordeon, Ciranda Imperial, Bia Marinho, Coco do Juremá, Nádia Maia, Cascabulho, Fim de Feira, Ciranda do Egídio, Assisão, Mestre Ambrósio, Salatiel D’ Camarão, Muniz do Arrasta-pé, Família Salustiano, Lia de Itamaracá, Forró na Caixa, Alcymar Monteiro e Mestre Gennaro, além de Tintim por Tintim, Bailinho Kids e Arraialzinho da Fada Magrinha, para garantir o arrasta-pezinho. Isso sem falar em Jorge de Altinho e Irah Caldeira, grandes homenageados deste São João recifense.
“A gente vai fazer um ciclo junino completo com a força da nossa tradição e da nossa cultura. O São João da capital representa aquilo que a gente quer ver nos nossos polos, como o Sítio Trindade, que é praticamente o centro de referência do nosso ciclo. Veremos a tradição presente, a quadrilha, o pé de serra, muito forró, ciranda, vai ter coco, tudo aquilo que faz o São João ser tão querido pelo nosso povo”, enfatizou o secretário Ricardo Mello.
A programação começa neste domingo (11) e só termina em 30 de junho. A festa no Recife Antigo já começa no dia 11 de junho, com trios pé de serra circulando pelo bairro.
No Sítio Trindade, a programação também começa no dia 11 de junho, com as eliminatórias do 37° Concurso de Quadrilhas Juninas Adultas. Até o dia 15, um total de 34 grupos desfilarão no palhoção.
Polos e programação
Animação e tradição estão garantidas. Mas não vai faltar novidade: além do Sítio Trindade sempre presente, o Recife Antigo vai se embelezar todinho para convidar o Recife para dançar. O “Arraial Novo da Rio Branco” vai se instalar no boulevard recifense, com sala de reboco, cidade cenográfica e barraquinhas. Tudo movido ao som dos mais genuínos acordes juninos.
A festa no bairro histórico já começa no dia 11 de junho, com os trios pé de serra circulando pelo bairro e espalhando o forró. Até o dia 30, todo dia será de forró naquelas bandas: de segunda a segunda, das 12h às 14h e das 17h às 19h, vai ter trio pé serra na Rio Branco. Nos finais de semana, o balancê será caprichado, com as presenças de quadrilhas juninas e apresentações também na sala de reboco, das 19h até 1h, nas sextas e sábados e das 16h às 21h, aos domingos.
No dia 15, outra tradição junina ganha as ruas do Recife Antigo: o Desfile das Bandeiras, que acontece junto com a Caminhada do Forró, arrastando o povo da Rua da Moeda até a Praça do Arsenal, a partir das 17h.
No Sítio Trindade, onde todos os buchos recifenses já se acostumaram a ralar, na mais autêntica e tradicional celebração junina da capital, a programação também começa no dia 11 de junho, com as eliminatórias do 37° Concurso de Quadrilhas Juninas Adultas. Até o dia 15, um total de 34 grupos desfilarão suas cores e enredos no palhoção, garantindo muitos decibéis de emoção e beleza.
Do dia 16 em diante, a festa espraia, enchendo o Sítio todinho de forró. Vai ter programação musical no palco principal e na sala de reboco nos dias 16, 17 e 18, 23, 24 e 25, 28, 29 e 30. Nos finais de semana, das 16h às 19h, o pavilhão do Sítio também terá programação infantil. Mas se engana quem pensa que os candeeiros se apagarão nos dias de semana. Os dias 21 e 22 também serão muito úteis para quem quiser celebrar a festa e a fé juninas, no Festival Comida de Santo e na Procissão dos Santos Juninos. Também nos dias 21 e 22, o palhoção das quadrilhas recebe as finais do concurso adulto. As apresentações do concurso infanto-juvenil serão nos dias 28 e 29.
Nessa altura, já se encaminhando para o final, o passeio na roça desemboca em mais um polo. Nos dias 28, 29 e 30 vai ter festa para São Pedro, no Pátio histórico que leva o nome do santo, no centro da cidade.
E para quem, por algum motivo, não puder ir até os arraiais do centro e do Sítio, tem nada não: os santos do altar junino vão buscar os recifenses perto de casa. A programação descentralizada, que é marca registrada dos ciclos festivos na cidade, vai espalhar apresentações por dez bairros. Nos dias 23 e 24, Lagoa do Araçá, Barro, Totó, Campo Grande e Cordeiro festejam São João. E nos dias 29 e 30, arrastam pé Brasília Teimosa, Bongi, Ibura, Vila Tamandaré e Poço da Panela, em honra e graça a São Pedro.
“Arraial Novo”
Para receber a programação com todas as cores e belezuras juninas, a Prefeitura do Recife vai vestir os polos da cidade com os símbolos que o ciclo junino evoca no imaginário nordestino. A Rio Branco vai virar a capital “interiorana” dos festejos, recebendo uma cidade cenográfica, que contará com várias casas, com direito a igreja, quermesse e até Prefeitura.
O forró estará garantido na Sala de Reboco, cercada e coberta, montada no meio da Rio Branco, para abrigar o resfolego da sanfona. Além de xote e baião no salão, vai ter bandeirinha espalhada para todo lado no céu da Rio Branco, que vai receber os cavalheiros e damas com pórtico em formato de fogueira.
E tem mais: pode preparar para o retrato, que a Prefeitura vai garantir o cenário. A decoração contará com elementos como balões de chão (um deles com mais de seis metros de altura e vazado, para o público passar por dentro).
Homenageados
Irah Caldeira
Arrastando pé atrás da sonoridade nordestina nascida da mistura entre zabumba, triângulo e sanfona, Irah Caldeira percorreu todo o Nordeste, a poeira subindo e o suor descendo, para encorpar performance e colecionar repertório até escolher Pernambuco como casa e cenário para sua carreira musical. Nascida em Minas Gerais, iniciou-se nos do Recife na década de 1990, dando voz a compositores como Petrúcio Amorim, Accioly Neto e Maciel Melo, entre outros caboclos sonhadores e cantadores.
De arraial em arraial, confirmou-se uma das mais importantes intérpretes femininas dos ritmos nordestinos, tendo gravado vários discos e participações na obra de companheiros e pareias de palco e sala de reboco. Dona de uma voz inconfundível e de uma energia inesgotável, é especialista em balancê e abarrotadora de salão das mais infalíveis e ligeiras que já rezaram na cartilha do São João nordestino.
A artista expressou sua felicidade ao receber a notícia no evento de abertura do Ciclo Junino, no Sítio Trindade. “Acho que é explícita a alegria e o sentimento de gratidão que envolve este momento. Também é uma honra ser homenageado ao lado de Jorge de Altinho, que eu sou fã”, disse..
Jorge de Altinho
Nascido na cidade de Olinda, Jorge Assis de Assunção mudou-se ainda criança para o interior pernambucano, onde sua vida encontraria um novo norte. Aliás, um Nordeste inteiro de sonoridades e referências poéticas e musicais. Entre violeiros, aboiadores, sanfoneiros e emboladores, ganhou um rumo e até alcunha nova, sagrando-se Jorge de Altinho nos salões cheios de arrasta-pé da região onde cresceu. Estudioso de música, nem ligou, deixou o povo falar e ousou introduzir os metais no forró, fazendo, pela primeira vez nos palcos e arraiais nordestinos, sanfona rimar com trombone. Gravou mais de 40 álbuns de sucesso, foi bater até no programa do Chacrinha, onde ganhou vários discos de ouro – e nenhum troféu abacaxi. Confirmou-se sinônimo de forró, cantor e compositor dos mais requisitados, lembrados e cantados nos festejos juninos de todo o Nordeste, assinando sucessos como “Petrolina-Juazeiro”, “Confidências” e “Andorinha Só não Faz Verão”. Festa de São João, para ser boa mesmo, tem que ter Jorge de Altinho no palco. E pra ser ótima, faz questão até de lhe render homenagem. “Ser homenageado e reconhecido na cidade que eu escolhi para morar, cidade que eu amo e que é a minha cara, é muita emoção. Eu agradeço de coração esse reconhecimento do nosso trabalho e da nossa estrada. Quero parabenizar você, prefeito, além da Secretaria de Cultura, a Fundação de Cultura e todos da prefeitura que colaboraram para a gente fazer um ciclo junino bem nosso, bem tradicional, resgatando a nossa cultura. Isso é uma injeção de ânimo muito grande”, declarou o cantor.
 
SÃO JOÃO 2023 – RECIFE JUNINO
De 11 a 30 de junho
Na Avenida Rio Branco, Sítio Trindade e Pátio de São Pedro
 
AVENIDA RIO BRANCO
Dias 11, 18 e 25 de junho (domingos) – Quadrilhas, trios itinerantes/atrações na Sala de Reboco, das 10h às 14h/16h às 21h
Dias 12, 13, 14 e 15, 19, 20, 21 e 22, 26, 27, 28 e 29 de junho (segunda a quinta-feira) – Trios pé de serra itinerantes pelo bairro, das 12h às 14h e das 17h às 19h
Dias 16, 23 e 30 de junho (sextas) – Trios itinerantes/atrações na Sala de Reboco, das 12h às 19h/19h até 1h
Dias 17 e 24 de junho (sábados) – Quadrilhas, trios itinerantes/atrações na Sala de Reboco, das 12h às 19h/19h até 1h
Dia 15 de junho (quinta-feira) – Caminhada do Forró e Desfile das Bandeiras, da Rua da Moeda até a Praça do Arsenal), a partir das 17h
 
SÍTIO TRINDADE
Dias 11 a 15 de junho (domingo a quinta-feira) – Eliminatórias do 37º Concurso de Quadrilhas Juninas Adultas
Dias 16, 23 e 30 de junho (sextas) – Programação no palco e na sala de reboco, a partir das 18h
Dias 17 e 18, 23, 24 e 25 de junho (sexta, sábados e domingos) – Programação infantil do pavilhão das quadrilhas, a partir das 16h, e programação no palco e na sala de reboco, a partir das 18h
Dias 21 e 22 de junho(quarta e quinta-feira) – Finais do 37º Concurso de Quadrilhas Juninas Adultas, a partir das 20h
Dia 21 de junho (quarta-feira) – Festival Comida de Santo, a partir das 20h
Dia 22 de junho – Procissão dos Santos Juninos, a partir das 16h, do Morro da Conceição ao Sítio Trindade
Dias 28 e 29 de junho (quarta e quinta-feira) – Programação no palco e na sala de reboco, a partir das 18h, e 19° Concurso de Quadrilhas Juninas Infantojuvenis, a partir das 20h
 
PÁTIO DE SÃO PEDRO
Dias 28, 29 e 30 – Programação no palco, das 17h até 1h
POLOS DESCENTRALIZADOS
Dias 23 e 24 de junho – Lagoa do Araçá, Barro, Totó, Campo Grande e Cordeiro
Dias 29 e 30 de junho – Brasília Teimosa, Bongi, Ibura, Vila Tamandaré e Poço da Panela
Ne10/ Prefeitura do Recife

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *