segunda-feira, maio 20

Travesti expõe relações com André Valadão; pastor aciona a Justiça

Mais uma polêmica veio à tona envolvendo o nome de André Valadão

André Valadão
Foto: Reprodução/ Instagram

Mais uma polêmica veio à tona envolvendo o nome de André Valadão. A travesti Talita Oliveira publicou um vídeo nas redes sociais expondo relações entre ela e o líder da Igreja Batista Lagoinha. Ela alega que os dois tiveram relações sexuais há alguns anos, em São Paulo e em Porto Alegre.

“O André Valadão está abrindo a boca para falar muita besteira, então, André, eu vou abrir a minha boca também”, começou Talita. “Você lembra, André Valadão, que você pagou o meu programa? Confesse, André Valadão, que você saiu comigo duas vezes e pagou o meu programa, ou você vai dizer que é mentira?”, continuou.

André Valadão incita morte de LGBTs e volta atrás após repercussão
Pastor Valadão pode ser impedido de pregar e até ser extraditado
No vídeo, publicado há uma semana, Talita afirma que durante a ficada o pastor teria pedido para ela vestir a camisa e o boné, já que seu “tesão era em homem”, não em travestis. “Assuma agora, que você pagou duas vezes o meu programa”.

Segundo Talita, ela nunca teve a intenção de expor o pastor evangélico. Porém, o que a motivou a falar sobre o assunto foram as recentes declarações de Valadão, em que ele faz uma série de críticas e insultos à comunidade LGBTQIA+.

André Valadão apresentou uma denúncia contra Talita Oliveira ao Ministério Público, em conjunto com a Europol, agência que apura crimes no âmbito da internet. Atualmente, Talita mora na França. As informações são da jornalista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.

Vanessa Souza, advogada que representa Valadão, afirmou que estão “determinados a buscar uma reparação justa e necessária perante essas vergonhosas e infames alegações”. “Não descansaremos até que a verdade prevaleça e essa pessoa enfrente as consequências adequadas por seus atos”, complementou.

Em relação ao crime, a advogada afirma que a atitude de Talita pode configurar um crime de injúria e difamação. “Nenhuma punição será evitada para essa pessoa que tem a audácia de se esconder atrás de fronteiras internacionais, achando que pode agir impunemente”, afirmou.

Correio Braziliense/ DP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *