sexta-feira, maio 24

Trabalhadores da enfermagem de Pernambuco entram em greve pela garantia do piso nacional

  Profissionais reivindicam o pagamento adequado e mobilizam-se em defesa dos seus direitos

Foto: Divulgação

Os auxiliares e técnicos de enfermagem de Pernambuco decidiram iniciar uma greve a partir desta quinta-feira (29/06) em busca da implementação do piso nacional. A decisão foi tomada durante uma assembleia conjunta com enfermeiros e servidores da Universidade de Pernambuco, realizada na noite de quarta-feira (28).

A greve faz parte de uma mobilização nacional com o objetivo de chamar a atenção das autoridades, especialmente o Supremo Tribunal Federal (STF), que tem até o dia 30 de junho para concluir a análise da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 7222. Além disso, os profissionais buscam pressionar o Governo Federal para que sejam distribuídos os recursos necessários e garantido o pagamento do piso.

Com a paralisação das atividades, é recomendado que o efetivo nos postos de saúde, ambulatórios, CAPS e policlínicas permaneça parado integralmente. Nos setores de média e alta complexidade, como hospitais, clínicas, CAPS e policlínicas que funcionam 24 horas, além de urgência e emergência, SAMU, UTI, bloco cirúrgico e CME, o atendimento será mantido com apenas 50% do efetivo.

“Estamos enfrentando um momento de grande luta e resistência. Se não nos mobilizarmos e tomarmos as ruas, corremos o risco de sofrer uma derrota no Supremo Tribunal Federal. Nossa categoria não aceitará nada menos do que a implementação do piso, assegurado por lei”, afirmou Francis Herbert, presidente do Satenpe.

A mobilização também conta com a participação dos sindicatos dos Enfermeiros de Pernambuco (Seepe) e dos Servidores da Universidade de Pernambuco (Sindupe). Os profissionais da enfermagem estão unidos na busca por melhores condições de trabalho e valorização de sua categoria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *