quinta-feira, abril 18

Situação precária das escolas de Jaboatão causa preocupações

Falta de ventilação e ar condicionado nas salas de aula causa situação preocupante para saúde e bem-estar, enquanto infraestrutura deficiente persiste.

Escola Walfrido Coelho em Curcurana
Escola Walfrido Coelho em Curcurana, situação precária das escolas de Jaboatão causa preocupações. Foto: Fala News

O Professor Ângelo Branco, da rede municipal de ensino de Jaboatão dos Guararapes, denuncia a situação precária das escolas do município, onde a falta de ventilação e ar condicionado nas salas de aula coloca em risco a saúde de alunos e professores.

O professor relata que o calor intenso dentro das salas de aula é um problema recorrente, principalmente durante os meses mais quentes do ano, em especial nos tempos de crise climática. “A sensação térmica chega a beirar os 40 graus em alguns dias”, afirma Angelo. “Isso torna o ambiente extremamente desconfortável, os alunos não conseguem se concentrar além de ser prejudicial à saúde, especialmente para as crianças e os profissionais idosos.”

Angelo destaca que a falta de circulação de ar e de ar condicionado contribui para a proliferação de doenças respiratórias, além de causar desidratação, tonturas e até mesmo desmaios. “É comum ver alunos e professores passando mal durante as aulas”, relata o professor. “Isso é inadmissível!”

📲Siga o canal “Fala News” no WhatsApp

O professor Angelo cobra providências da Prefeitura de Jaboatão para solucionar o problema. “É urgente que a Prefeitura invista na infraestrutura das escolas, instalando ar condicionados nas salas de aula”, afirma. “A saúde dos alunos e professores não pode ser colocada em segundo plano.”

Outras escolas também sofrem com o problema

A falta de estrutura nas escolas de Jaboatão não se limita à falta de ventilação e ar condicionado. Diversas unidades também sofrem com problemas como falta de água, goteiras, infiltrações e poeira nos ventiladores sem manutenção.

Em 2023/2024, a Prefeitura de Jaboatão informou que já gastou mais de 100% dos valores do FUNDEB. No entanto, o professor Angelo questiona a falta de planejamento para readequar os prédios educacionais para a realidade climática atual.

📲Siga nosso perfil no Instagram

“É preciso que a Prefeitura faça um diagnóstico real da situação das escolas e apresente um plano de ação concreto para resolver os problemas”, afirma Angelo. “A educação das crianças e adolescentes não pode esperar.”

Escolas como a Municipal Oscar Moura em Piedade, Profª. Marizia dos Santos Mélo Barra de Jangada, Walfrido Coelho em Curcurana, Visconde de Suassuna em Piedade, Roberto Inácio em Jaboatão Centro, Alice Vilar de Aquino em Socorro, Nazete Vieira de Lima no Curado III e Natividade Saldanha em Cajueiro Seco sofrem com problemas semelhantes, desde salas superaquecidas até infraestrutura deficiente.

A falta de investimento na adequação das escolas coloca em risco não apenas o aprendizado, mas também a saúde e o bem-estar de alunos e professores. É imprescindível que medidas sejam tomadas de forma urgente para garantir um ambiente escolar adequado e seguro para todos. 👩‍🏫📚🏫

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *