sexta-feira, maio 24

Municípios brasileiros podem ficar sem verba para educação básica, por problemas na contabilidade

Em Pernambuco, doze municípios se encontram em situação contábil irregular

Foto: Carlos Siqueira

Municípios brasileiros que não regularizaram seus dados de contabilidade e de fiscalização, com relação ao ano passado, podem ficar sem recursos para investir na educação básica. Segundo a Secretaria do Tesouro Nacional (STN), 847 municípios se encontram nessa situação.
A falta de regularização deixaria esses locais de fora do cálculo do Valor Aluno Ano Total (VAAT) do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), para 2024, pois é um pré-requisito para o recebimento das verbas.
Segundo levantamento do Brasil 61, em Pernambuco doze municípios estão com contabilidade irregular: Goiana, Ilha de Itamaracá, Abreu e Lima, Vivência, Salgadinho, Terezinha, Iati, Tupanatinga, Moreilândia, Ouricuri, Jupi, Itapissuma  
Para solucionar o problema, os gestores devem tomar duas previdências: corrigir as informações dos saldos contáveis do ano que contêm a irregularidade, por meio da Siconf, além de enviar os dados orçamentários da educação para o Sistema Integrado de Planejamento e Orçamento do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação).
Municípios de todo o Brasil que estão com essa irregularidade tem até o dia 31 de agosto para encaminhar as informações necessárias a retificação e, posterior, liberação da verba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *