domingo, julho 21

Mulheres superam homens na população do Brasil aponta Censo 2022

Dados do Censo Demográfico revelam que, pela primeira vez em cinco décadas. As mulheres são maioria em todas as regiões do país. Com 6 milhões a mais do sexo feminino.

Mulheres são maioria em todas as regiões pela primeira vez. Foto: Luis Cortes / Reuters
Mulheres são maioria em todas as regiões pela primeira vez. Foto: Luis Cortes / Reuters

Pela primeira vez em 50 anos, as mulheres se tornaram maioria na população de todas as grandes regiões do Brasil. De acordo com os novos resultados do Censo Demográfico de 2022 divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dos 203.080.756 residentes no país, 51,5% são do sexo feminino, totalizando 104.548.325, enquanto 48,5% são homens, somando 98.532.431. Isso resulta em um excedente de 6.015.894 mulheres em relação aos homens.

O IBGE utiliza um indicador chamado “razão de sexo” para analisar a proporção entre homens e mulheres. Se a razão for menor que 100, há mais mulheres, e se for maior, há mais homens. Em 1980, a razão de sexo era de 98,7 homens para cada 100 mulheres. Mas em 2022, essa proporção mudou para 94,2 homens para cada 100 mulheres.

Ao analisar as diferentes regiões do país, observa-se uma tendência semelhante. No Norte, a razão de sexo era de 103,4 em 1980, caiu para 99,7 em 2022. já no Nordeste, passou de 95,8 para 93,5. Sudeste, de 98,9 para 92,9; no Sul, de 100,3 para 95,0; e no Centro-Oeste, de 103,4 para 96,7.

A variação da razão de sexo está relacionada à idade. No Brasil, a proporção de homens é maior entre o nascimento e os 19 anos de idade. Entre 25 e 29 anos, a população feminina se torna majoritária, e essa proporção continua crescendo nas idades mais avançadas. Esse fenômeno inicial é explicado pelo maior número de nascimentos de meninos, enquanto a mudança na idade adulta é atribuída às taxas de mortalidade masculina mais elevadas na juventude.

Ao analisar as Unidades da Federação, o Rio de Janeiro apresenta a maior proporção de mulheres, com 89,4 homens para cada 100 mulheres. Em números absolutos, são 8.477.499 mulheres (52,8%) e 7.577.675 homens (47,2%). Os cinco primeiros estados com maior proporção de mulheres incluem o Distrito Federal (91,1), Pernambuco (91,2), Sergipe (91,8) e Alagoas (91,9).

Por outro lado, o Mato Grosso lidera a lista de estados com maior proporção de homens, com 101,3 homens para cada 100 mulheres. Em números absolutos, são 1.817.408 do sexo feminino (49,7%) e 1.841.241 homens (50,3%). Roraima, Tocantins e Acre também têm predomínio masculino em sua população.

O tamanho da população dos municípios influencia diretamente na diferença entre os sexos. Nos municípios com até 5 mil habitantes, a razão de sexo é, em média, de 102,3 homens para cada 100 mulheres. A partir de 20 mil habitantes, elas se tornam maioria. O fenômeno de predomínio masculino é mais comum em municípios com grande população carcerária. Como é o caso de Balbinos-SP, que lidera a lista dos municípios com maior razão de sexo.

No entanto, é importante notar que essas diferenças de gênero não indicam necessariamente desequilíbrios sociais, mas sim padrões demográficos e sociais específicos em diferentes regiões e faixas etárias do Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sair da versão mobile