sábado, fevereiro 24

Javier Milei assina 13 decretos em 1º dia presidencial na Argentina

Presidente argentino Milei reorganiza governo, reduz ministérios e nomeia irmã como secretária-geral; mudanças incluem intervenção em empresas estatais e redistribuição de pastas.

Javier Milei e sua equipe de governo. Foto: Reprodução/Redes Sociais
Javier Milei e sua equipe de governo. Foto: Reprodução/Redes Sociais

No seu primeiro dia como presidente da Argentina, Javier Milei tomou medidas significativas, assinando 13 decretos que impactaram a estrutura do governo e a gestão pública. Entre as mudanças, destacou-se a revogação de um decreto de 2018, do ex-presidente Mauricio Macri, que proibia parentes de membros eleitos de ocuparem cargos públicos.

🇦🇷 No novo cenário, Karina, irmã de Milei, foi indicada como secretária-geral do governo. Sua função abrange políticas públicas, comunicação oficial, participação em eventos cerimoniais e gestão das relações com o público. A imprensa argentina observou a nomeação como uma quebra de paradigma, gerando discussões sobre nepotismo na esfera pública.

Além disso, Milei promoveu uma reorganização drástica nos ministérios, reduzindo de 18 para 9 o número de pastas. Nicolás Posse assumiu a Casa Civil, com responsabilidades ampliadas para além da gestão ministerial. Ele terá o papel crucial de intervir nos planos e orçamentos das empresas estatais, indicando uma mudança significativa na dinâmica de controle sobre essas entidades.

Siga o canal “Fala News” no WhatsApp

🏛️ A intervenção estatal nas empresas ganha destaque, pois, segundo o decreto, o Chefe da Casa Civil será responsável por direcionar as ações e decisões relacionadas às empresas estatais. O ministro da Economia, Luis Caputo, ficará encarregado de executar essas diretrizes, mas não terá autonomia para emitir ordens independentes.

Outro aspecto crucial dos decretos foi a redistribuição de competências ministeriais. Ministérios anteriores foram agrupados, refletindo uma visão estratégica de governança. O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, por exemplo, foi incorporado à Casa Civil, assim como a Secretaria de Assuntos Estratégicos.

Siga nosso perfil no Instagram

🌐 O Ministério do Interior absorveu as atribuições do antigo Ministério do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, bem como do Turismo e Esporte. As extintas pastas de Transportes, Obras Públicas e Habitat e Desenvolvimento Territorial tornaram-se secretarias do Ministério da Infraestrutura.

A abordagem de Milei também destaca a criação do Ministério do Capital Humano, que passa a englobar Seguridade Social, Educação, Cultura, Trabalho e o Ministério da Mulher, Gênero e Diversidade. Essa estrutura visa a otimizar a administração governamental, alinhando pastas afins sob uma única liderança.

Em meio a essas mudanças, a sociedade argentina observa atentamente o novo governo, ponderando sobre os impactos práticos dessas decisões. A nomeação de familiares para cargos-chave e a concentração de poder na Casa Civil são pontos de discussão que permeiam a análise das ações de Milei.

O presidente argentino, conhecido por suas posições econômicas liberais, busca, assim, imprimir uma marca própria desde o início de seu mandato, provocando reflexões sobre o equilíbrio entre inovação na gestão pública e o respeito às práticas éticas e democráticas.

Este é um momento de transição significativo para a Argentina, e o futuro político do país parece destinado a ser moldado pelas decisões audaciosas tomadas por Milei em seu primeiro dia de governo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *