sexta-feira, abril 19

Delegado pede arquivamento de caso de atropelamento do ator Kayky Brito

Motorista não responderá por crime e Bruno de Luca não é indiciado por omissão de socorro, conclui delegado

Kayky Brito
    Foto: Reprodução
O delegado Ângelo Lages, titular da 16ª DP (Barra da Tijuca), concluiu o inquérito sobre o atropelamento do ator Kayky Brito e vai solicitar ao Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) que arquive o caso. O motorista Diones Coelho da Silva não enfrentará acusações criminais, e o ator Bruno de Luca não foi indiciado por omissão de socorro.
O delegado esclareceu que Bruno de Luca não foi responsabilizado porque, segundo a lei, o motorista envolvido em um acidente tem a obrigação legal de solicitar socorro. Além disso, qualquer pessoa que presta assistência em situações de emergência está isenta de responsabilidade. O delegado enfatizou que, se Bruno de Luca fosse indiciado, outras pessoas presentes no local também seriam alvo de ações legais.
Diones Coelho da Silva não enfrentará acusações criminais devido às seguintes constatações: ele estava dentro do limite de velocidade, dirigindo a 48 km/h, enquanto o máximo permitido era de 70 km/h; não estava sob efeito de álcool ou outras substâncias, conforme confirmado por exames realizados no dia do acidente; e parou o carro para prestar socorro a Kayky Brito.
O delegado Ângelo Lages afirmou que o foco da investigação era determinar se o motorista tinha contribuído para o acidente, por exemplo, através de distração ou uso de celular. Contudo, ficou evidenciado que o motorista estava agindo corretamente. Portanto, o inquérito foi encerrado e encaminhado ao MPRJ com o pedido de arquivamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *