sexta-feira, fevereiro 23

Presidentes Lula e Zelensky se reúnem em Nova York e discutem paz na Ucrânia

Encontro bilateral marca iniciativa diplomática para encerrar conflito que já dura quase 20 meses.

Lula e Zelensky
Foto: Ricardo Stuckert/PR


Na última quarta-feira, 20 de setembro, o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e o presidente da Ucrânia, Volodimir Zelensky, realizaram sua primeira reunião bilateral em Nova York, nos Estados Unidos, durante a 78ª Assembleia Geral das Nações Unidas. O encontro foi marcado por um clima amistoso e pelo mútuo desejo de promover a paz na Ucrânia.
O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, descreveu a reunião como “muito importante” e destacou o entendimento mútuo entre os dois líderes. “Ambos os presidentes deram instruções aos seus ministros de relações exteriores para continuar trabalhando em temas bilaterais e multilaterais e continuar discutindo a questão da paz”, afirmou o ministro em entrevista a jornalistas após o encontro.
Vieira enfatizou que o presidente Lula expressou sua preocupação com a necessidade de buscar a paz na Ucrânia e pôr fim ao sofrimento causado pelo conflito que já dura quase 20 meses. O chanceler também revelou que o Brasil designou o assessor internacional para Assuntos Internacionais, Celso Amorim, como seu representante nas reuniões do Processo de Copenhague, uma iniciativa que visa encontrar soluções para o conflito entre Rússia e Ucrânia.
Além da questão ucraniana, os presidentes Lula e Zelensky abordaram aspectos da relação bilateral entre Brasil e Ucrânia e discutiram a necessidade de reformas na governança internacional, incluindo o funcionamento do Conselho de Segurança das Nações Unidas.
Antes da reunião com o presidente ucraniano, Lula se encontrou com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para lançar uma parceria voltada para a promoção do trabalho decente. Segundo o chanceler Mauro Vieira, durante sua estadia nos Estados Unidos, o presidente Lula recebeu 60 pedidos de encontros bilaterais, destacando o esforço diplomático para fortalecer as relações internacionais do Brasil.
Desde o início de seu terceiro mandato, Lula já se reuniu pessoalmente com líderes de 55 países diferentes, incluindo a Suíça, Áustria, Alemanha, Noruega, Palestina, além dos Estados Unidos e Ucrânia. Essa intensa agenda diplomática tem como objetivo tirar o Brasil do isolamento internacional que enfrentou nos últimos anos.
Neste último dia de sua visita aos Estados Unidos, Lula também se reuniu com o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, e com o presidente do Paraguai, Santiago Peña. O presidente e sua comitiva retornaram ao Brasil ainda na noite de quarta-feira, encerrando uma jornada marcada por diálogo, cooperação e esforços pela paz e estabilidade no cenário internacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *