segunda-feira, maio 20

Fenearte chega à sua 23ª edição em julho; confira as novidades da feira de artesanato

Mais de 5 mil expositores – entre artesãos de Pernambuco, de todo o Brasil e de diversos países – vão ocupar cerca de 25 mil metros quadrados do pavilhão

fenearte
Fenearte – Foto: Melissa Fernandes

Em coletiva de imprensa no Palácio do Campo das Princesas, na manhã desta terça-feira (13), a governadora Raquel Lyra (PSDB) e sua equipe de governo anunciaram os detalhes da Fenearte, que realizará a sua 23ª edição entre os dias 5 e 16 de julho no Centro de Convenções de Pernambuco.

Com o tema “Loiceiros de Pernambuco – Arte da Terra, Poesia das Mãos”, a Fenearte, maior feira de artesanato da América Latina reunirá mais de 5 mil expositores – entre artesãos de Pernambuco, de todo o Brasil e de diversos países – vão ocupar cerca de 25 mil metros quadrados do pavilhão. São esperadas 300 mil pessoas. Com investimento de R$ 8 milhões, a expectativa de movimentação financeira é superior a R$ 40 milhões.

    “Nasci e cresci indo buscar saquinho de barro na casa de seu Severino Vitalino para brincar e fazer boneco. E sei o quanto isso foi importante para minha formação e para a compreensão do que é a economia criativa e do que é a força do artesanato, do barro”, recordou a governadora Raquel Lyra.

Segundo a governadora, a Fenearte ajuda a fomentar os artesãos e gera renda.”Trazer não só o fortalecimento daquilo que nos diferencia de qualqier outro lugar do mundo, que é a riqueza da nossa cultura,  mas também o quanto ela pode gerar emprego e renda para anossa gente”, afirmou Raquel.

A Feira Nacional de Negócios do Artesanato é uma iniciativa de valorização dos artesãos enquanto fazedores de cultura e agentes produtivos da economia. Como política pública do Estado, sua realização celebra saberes perpetuados por gerações e provoca um positivo impacto socioeconômico, representando um impulso na renda anual dos expositores.

    “Consolidando ações e espaços que já estão bem fortalecidos, mas trazendo algumas inovações, como, por exemplo, o Circuito Fenearte, que é o transbordamento da feira para além do Centro de Convenções, ativando espaços culturais, equipamentos, galerias de arte e restaurantes de Recife e Olinda, fazendo esse diálogo do artesanato com o design, com a moda, a gastronomia e as artes visuais”, afirma Camila Bandeira, diretora-executiva da 23ª Fenearte.

Exposições, Palestras e Oficinas

No mezanino, a exposição “As Loiceiras de Tacaratu – A Arte Milenar das Mulheres do Meu Sertão”, com fotografias de Ana Araujo, apresentará a tradição da loiça no município pernambucano, um saber difundido pelo povo Pankararu. As loiças terão destaque também no Espaço Janete Costa.

A programação conta ainda com o Palco Cultura Popular e o Palco Alternativo, com shows diariamente; a Passarela Fenearte, com desfiles de moda; e as Oficinas Fenearte, com aulas de técnicas em cerâmica, como a fabricação de utilitários, técnicas têxteis como macramê e renascença, e técnicas de reaproveitamento de materiais, como bordado com sacolas plásticas e produção de instrumentos percussivos a partir de sucata.

Assim como nas edições anteriores, a 23ª Fenearte contabiliza mais de 30 setores. No maior, dedicado a artesãos pernambucanos, são 305 estandes. Outros 68 expositores pernambucanos vão ocupar o estande do Sebrae-PE.

Também participam os Sebraes do Amazonas, Ceará, Rio Grande do Norte, Minas Gerais e Espírito Santo. A feira terá estandes de oito etnias indigenas, 73 municípios pernambucanos, 40 associações, todos os estados brasileiros e 27 países.

Circuito Fenearte

Com o objetivo de expandir a feira para além dos limites do Centro de Convenções, e de colocar o artesanato num diálogo ainda maior com as artes visuais, o design e a gastronomia, o Circuito Fenearte vai intensificar e ampliar a experiência dos pernambucanos e turistas. Esta edição inédita acontecerá em parceria com cerca de 50 galerias, museus e restaurantes do Recife e de Olinda.

Nas artes visuais, destaque para a Feira de Arte Contemporânea de Pernambuco (ART-PE), iniciativa do arquiteto Diogo Viana, que se antecipa e realiza sua segunda edição de 11 a 15 de julho, no Cais do Sertão. O evento contará com 30 galerias de arte e artistas urbanos, além de programação de palestras e rodas de conversas com nomes como Cris Rosenbaum, Juliana Notari e Daniela Falcão.

No universo do design, o Museu Cais do Sertão acolherá a exposição “Sertão sobre Sertão”, do designer de mobiliário Fábio Melo. O salão principal do Centro Cultural Mercado Eufrásio Barbosa estará com a mostra “Tapeçaria Timbi: Bordando as Obras do Mestre J. Borges”.

Já a Design Week (DW), mais importante feira do segmento no Brasil, que acontece em São Paulo, vai estabelecer uma ponte com Pernambuco, ao realizar uma ativação no Edifício Pernambuco, no bairro de Santo Antônio.

Na gastronomia, em parceria com o Instituto César Santos, que assina a Cozinha Fenearte, 10 restaurantes farão parte do Circuito Fenearte, com cardápio especial. São eles: Altar Cozinha Ancestral; Bar do Cabo; Cá-Já; Cais Rooftop; Chica Pitanga; Oficina do Sabor; Moendo na Laje; Retetéu Comida Honesta; São Pedro; Vieira.

Cozinha Fenearte

A gastronomia ganha maior espaço nesta edição, com curadoria e realização do Instituto Cesar Santos. A Cozinha Fenearte, no mezanino do pavilhão, seguirá com 16 aulas demonstrativas, que acontecem de quarta a domingo, com uma novidade: ao final de cada uma, dois espectadores serão sorteados para degustar o prato elaborado pelo chef convidado.

Além disso, a receita estará disponível no cardápio do restaurante Pernambuco à Mesa, que estreia neste ano, de quinta a domingo. O menu é assinado pelo chef Cesar Santos, com sobremesas da associação Assucar e a participação do confeiteiro Negro Brownie, além de harmonização guiada pelo sommelier Angelo Miranda.

Loiceiros de Pernambuco

O tema deste ano faz um resgate histórico da arte feita com barro. Todo o artesanato brasileiro em cerâmica tem sua origem nas peças utilitárias produzidas desde os povos originários, tendo como objeto principal as panelas. Ao homenagear os loiceiros, a Fenearte toca na ancestralidade de um ofício preservado por loiceiros em todo o território pernambucano.

Espaço Janete Costa

Localizado antes da entrada para a feira, este espaço expositivo cumpre o papel de inserir produções artesanais em projetos arquitetônicos. As peças escolhidas para compor seus ambientes estarão lá tanto em exibição quanto à venda.

Nesta edição, vão se destacar mesas montadas com loiças, além de mobiliário inédito, de designers convidados, e produtos de projetos de design social desenvolvidos por instituições. Bete Paes e Roberta Borsoi assinam a curadoria.

Salões de arte popular e religiosa + Galeria de reciclados

O Salão de Arte Popular Ana Holanda (18°), o Salão de Arte Popular Religiosa (7°) e a Galeria de Reciclados

(16ª) são mostras que reúnem obras selecionadas pelos seus respectivos curadores, Carlos Augusto Lira, Frei Rinaldo Silva e Ticiano Arraes, entre trabalhos inscritos de todo o País. 

As peças são avaliadas anteriormente por comissões julgadoras, que premiam as melhores (sendo R$ 8,6 mil para cada vencedor), e também pelo público da feira, em votação presencial durante a feira.

Alameda dos Mestres

O setor dá boas-vindas aos visitantes e reúne 64 mestras e mestres. São nomes relevantes na arte popular, com visibilidade local e nacional, já premiados e que tem o artesanato como herança.

Passarela Fenearte

Coordenado por Andrea Tom, o projeto leva à passarela parte da produção de moda autoral pernambucana. Entre os dias 8 e 15 de julho, coletivos e estudantes de moda vão apresentar suas criações em desfiles a partir das 18h. Na abertura, desfilam os criativos que compõem a Mape – Loja de Moda Autoral de Pernambuco, iniciativa do Governo de Pernambuco que integra o Armazém 11, onde estão os projetos da Diretoria-Geral de Promoção da Economia Criativa da Adepe.

Palcos Cultura Popular e Alternativo

Pelo Palco Cultura Popular, vão passar mais de 40 artistas e grupos. As apresentações vão começar sempre às 15h e serão quatro por dia. Já o Palco Alternativo receberá duas apresentações por dia, a partir das 18h. As grades de ambos os espaços são montadas pela Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe).

Espaço Infantil

Coordenado pela Casa das Asas, este espaço vai oferecer, diariamente, atividades para estimular a criatividade e a interação de crianças, como oficinas de barro e aquarela. Serão 25 crianças por grupo e o valor é R$ 25 para 30 minutos.

A Fenearte é uma realização do Governo do Estado de Pernambuco por meio da Agência de Desenvolvimento de Pernambuco (Adepe) / Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (Sdec); da Empresa Pernambucana de Turismo (Empetur) / Secretaria Estadual de Turismo; e da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) / Secretaria Estadual de Cultura (Secult).

SERVIÇO

23ª Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte)

Quando: 5 a 16 de julho

Onde: Centro de Convenções de Pernambuco

Horário: 14h às 22h – de segunda sexta-feira; 10h às 22h – sábado e domingo

Valores dos ingressos: segunda a sexta-feira – R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia); sábado e domingo – R$ 16 (inteira) e R$ 8 (meia)

Pontos de venda dos ingressos: bilheteria da Fenearte; Centro de Artesanato de Pernambuco (Armazém 11, s/n, Bairro do Recife); shoppings Boa Vista, Plaza, Recife,

RioMar e Tacaruna.

Expresso Fenearte:

Shopping Tacaruna – serviço de micro-ônibus gratuito a cada 15 min do shopping até o

Cecon-PE

RioMar Shopping – serviço de micro-ônibus gratuito a cada 30 min do shopping até o

Cecon-PE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *