domingo, julho 21

Brasil tem mais de 2 milhões de trabalhadores por aplicativo

Novo estudo do IBGE revela detalhes sobre o trabalho em plataformas digitais no Brasil.

Brasil tem mais de 2 milhões de trabalhadores por aplicativo
Brasil tem mais de 2 milhões de trabalhadores por aplicativo. Foto: Rovena Rosa

Brasil – Em um estudo inédito, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou dados detalhados sobre a população ocupada em plataformas digitais no Brasil. Segundo o levantamento, no quarto trimestre do ano passado, 2,1 milhões de brasileiros realizavam trabalhos por meio de aplicativos de serviços ou obtinham clientes e vendas por meio de comércio eletrônico como sua ocupação principal. Essa nova modalidade de trabalho representa 1,7% da população ocupada no setor privado, oferecendo um panorama significativo sobre a crescente “plataformização” do mercado de trabalho no país.

O Impacto das Plataformas Digitais no Trabalho

O estudo, intitulado “Teletrabalho e Trabalho por Meio de Plataformas Digitais da PNAD Contínua”, destaca a importância de entender a evolução desse fenômeno. As estatísticas, segundo o IBGE, são experimentais e estão em fase de teste e avaliação, mas são um passo fundamental para compreender a dinâmica do mercado de trabalho no contexto das plataformas digitais.

Setores de Atuação e Ocupação

Os dados revelam que o grupamento das atividades de transporte, armazenagem e correio lidera com 67,3% dos trabalhadores ocupados em plataformas digitais, abrangendo tanto o transporte de passageiros quanto os serviços de entrega. Em segundo lugar, encontra-se o setor de alojamento e alimentação, com 16,7%, devido ao uso de plataformas de entregas por estabelecimentos de comida. A categoria de emprego mais comum entre os trabalhadores de plataformas é “feita por conta própria,” representando 77,1% dos casos.

Tipos de Aplicativos

Os aplicativos de transporte particular de passageiros lideram o uso, com 52,2% dos trabalhadores de plataformas, seguidos pelos aplicativos de entrega de comida ou produtos, com 39,5%. Plataformas de prestação de serviços gerais ou profissionais representam 13,2%. Essa diversificação reflete a versatilidade do trabalho nas plataformas digitais.

Regionalização e Demografia

A pesquisa destaca diferenças regionais, com o Sudeste liderando a parcela de trabalhadores de plataformas digitais, representando 2,2% da população ocupada. A região Norte concentra a maior proporção de trabalhadores em aplicativos de transporte particular de passageiros, superando a média nacional em 14 pontos percentuais.

Perfil dos Trabalhadores em Plataformas

A pesquisa revela que a maioria dos trabalhadores em plataformas é composta por homens (81,3%). Em relação à idade, 48,4% têm entre 25 e 39 anos. Quanto à escolaridade, a maioria se encontra nos níveis intermediários, com ensino médio completo ou superior incompleto (61,3%).

Remuneração e Informalidade

Os trabalhadores em plataformas digitais ganham, em média, 5,4% a mais do que a média dos trabalhadores ocupados. No entanto, a remuneração varia significativamente dependendo do nível de instrução. Enquanto os trabalhadores menos escolarizados obtêm rendimentos 30% superiores aos não usuários de plataformas, aqueles com nível superior completo ganham 19,2% a menos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *