sexta-feira, fevereiro 23

Biólogos debatem impactos das mudanças climáticas na saúde

Congresso de Biólogos (26º ConBio) reúne especialistas em formato híbrido para discutir desafios e consequências das alterações no clima.

Biólogos debatem impactos das mudanças climáticas na saúde única. Foto: CRBio-01
Biólogos debatem impactos das mudanças climáticas na saúde única. Foto: CRBio-01

Biólogos brasileiros de todo o país se preparam para um evento que promete lançar luz sobre a interconexão entre saúde humana, animal e ambiental diante das mudanças climáticas.

O 26º Congresso de Biólogos do CRBio-01 (ConBio), agendado para os dias 4 a 6 de dezembro. Será um espaço de reflexão e debate sobre os impactos diretos e indiretos do aquecimento global na saúde. De modo a abordar de maneira imparcial as complexidades do tema.

O conceito de “saúde única” estabelece a indissociabilidade entre saúde humana, animal e ambiental, e o 26º ConBio será um palco para discutir essas interações. O presidente do CRBio-01, André Camilli Dias, destaca: “Vamos discutir essas questões no 26º ConBio”.

Os efeitos diretos das mudanças climáticas na saúde humana já se fazem sentir. Eventos climáticos extremos, que se intensificaram globalmente nos últimos anos. Resultaram em perdas de vidas e impactos negativos na saúde e direitos básicos das populações, especialmente em áreas urbanas. O Brasil enfrentou ondas de calor nas cidades, secas prolongadas, enchentes, tufões e deslizamentos causados por chuvas torrenciais.

O aquecimento global também propicia a disseminação de doenças transmitidas por vetores. Como os mosquitos, que se proliferam em ambientes quentes e úmidos. Doenças outrora restritas a regiões tropicais, como a dengue, zika e chikungunya, agora afligem populações de regiões temperadas durante o verão.

A leishmaniose tegumentar, anteriormente circunscrita à Amazônia, já se faz presente na Região Sudeste. O aumento da temperatura criou condições para a ocorrência do mosquito-palha no Sudeste, que transmite a doença por meio de sua picada.

Ainda, no Ártico, as temperaturas mais elevadas estão descongelando o permafrost, uma camada de solo congelado sob o chão. Vírus “zumbis,” inativos por dezenas de milhares de anos, estão ressurgindo, representando uma ameaça para a saúde humana e animal. As consequências podem ser graves, pois os sistemas imunológicos humanos e animais não têm resistência a esses vírus.

O deslocamento de espécies animais é outra ameaça em potencial à saúde. Com o aquecimento global, os animais estão migrando para regiões com clima semelhante ao qual estão adaptados. Isso faz com que espécies que nunca se encontraram passem a conviver. Criando condições inéditas para a transmissão de patógenos, como vírus e bactérias. Estudos indicam que esse processo pode aumentar a emergência de novas doenças entre humanos e animais.

O 26º ConBio será uma oportunidade valiosa para especialistas e interessados explorarem essas questões críticas de forma imparcial e bem fundamentada. O evento será realizado em formato híbrido. Com sessões presenciais em São Paulo e transmissão online gratuita para todos os que se inscreverem no site do congresso: doity.com.br/26conbio.

Esse congresso promete enriquecer o diálogo sobre os desafios que as mudanças climáticas representam para a saúde única e destacar a necessidade de ações coordenadas e conscientização para enfrentar essas complexidades em evolução.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *