sexta-feira, maio 24

Aumento na remoção de implantes de silicone gera preocupação

Problemas relacionados levam mulheres a optar pela retirada das próteses mamárias

Foto: Divulgação

Nos últimos anos, o implante de silicone foi um dos procedimentos estéticos mais populares em todo o mundo. No entanto, de acordo com a International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), entre 2016 e 2020, o número de remoções de próteses aumentou em 33%. Personalidades como Carolina Dieckmann, Giovanna Antonelli, Fiorella Mattheis, Manu Gavassi, a influenciadora Evelyn Regly e a ex-miss Brasil Intercontinental Sabrina Sancler estão entre as famosas que optaram pela retirada.

O especialista em procedimentos estéticos, Dr. Lúcio Romão, explica que algumas mulheres têm enfrentado problemas relacionados ao implante de silicone, como contratura capsular, doença do silicone ou síndrome ASIA. Essas condições podem causar desconforto e sintomas incômodos, levando à decisão de remover as próteses.

“A intervenção necessária varia de acordo com cada caso. No entanto, muitas pacientes optam pela cirurgia de Mastopexia, conhecida como lifting mamário ou suspensão das mamas”, explica o especialista.

“Esse procedimento visa corrigir a flacidez resultante da retirada do implante, elevando a mama e proporcionando um contorno mais bonito e natural”, acrescenta.

O cirurgião ressalta a importância do repouso relativo e da evitar esforços excessivos após a cirurgia, principalmente com os braços. Recomenda-se o uso de um sutiã cirúrgico justo e cuidados especiais com a cicatriz, mantendo-a sempre seca e limpa.

“Embora as próteses mamárias modernas não exijam necessariamente trocas regulares, em alguns casos, a substituição ou a retirada definitiva pode ser recomendada”, comenta o Dr. Romão.

“Esses casos incluem contratura capsular grave recorrente, síndrome ASIA/doença do silicone, rejeição ao implante, dor incapacitante nas costas ou pescoço decorrente do peso do implante e a rara complicação conhecida como BIA-ALCL. No caso desta última, os estudos ainda estão em andamento, mas o tratamento recomendado é a retirada do implante em conjunto com a cápsula”, conclui o especialista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *