segunda-feira, maio 27

AACD Recife atende pacientes com a síndrome de Guillain Barré

Foto: Divulgação
A síndrome de Guillain Barré é uma condição rara desenvolvida por uma infecção bacteriana e pode estar associada a doenças como Zika, Dengue, Chikungunya e Sarampo, entre outras. Os sintomas começam com fraqueza, dores musculares e problemas de coordenação. Em alguns casos, a pessoa pode desenvolver paralisia e necessitar de tratamento médico especializado.
A AACD tem recebido pacientes que tiveram a síndrome e hoje passam por processo de reabilitação física na instituição. Na unidade de Recife foram registrados 20 casos nos últimos 12 meses.
Doenças como a dengue apresentam ciclos endêmicos e epidêmicos no Brasil desde os anos 80 do século passado. Em todo o País, houve crescimento de 53% nos casos de dengue no primeiro trimestre de 2023, em comparação ao igual período do ano passado. Por isso, a preocupação e atenção da sociedade devem ser constantes.
Para alertar sobre essa questão e explicar como funciona o tratamento, a AACD Recife conta com médicos e terapeutas especialistas no processo de reabilitação. Também temos pacientes que tiveram a síndrome de Guillain Barré e estão nesse momento em processo de reabilitação.

Sobre a AACD

Fundada em 1950, a AACD possui uma infraestrutura completa dedicada à reabilitação e habilitação de pessoas com deficiências físicas e pacientes ortopédicos — composta por um hospital ortopédico, sete unidades de reabilitação e cinco oficinas para fabricação de produtos ortopédicos. Realiza em média 800 mil atendimentos anuais para pacientes de todas as idades, via SUS, particular e convênios.
A AACD ainda conta com a unidade escolar AACD Lesf, a área de ensino e pesquisa para disseminar conhecimentos, a AACD Esporte, que contribui por meio da prática esportiva para a inclusão da pessoa com deficiência, e com a cooperação técnica, que leva o padrão de excelência e a expertise da instituição para diversas partes do Brasil, por meio de entidades parceiras. Para mais informações, acesse o site da AACD.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *