sábado, junho 22

Operação Inverno 2023: Secretaria de Recursos Hídricos reforça ações de prevenção

Entre as medidas adotadas nos primeiros meses da gestão está o levantamento, em toda a RMR, das áreas em que há risco alto ou muito alto de deslizamentos, além da retomada das obras de construção de barragens

Fotos: divulgação SRHS-PE
Com a chegada da quadra chuvosa que historicamente registra maior volume de precipitações no estado (que vai de maio a agosto), a Secretaria de Recursos Hídricos e Saneamento do estado vem reforçando as ações de prevenção e de mitigação dos transtornos causados à população que vive em áreas mais vulneráveis. São ações de resultado a curto, médio e longo prazo, tais como mapeamento de áreas de risco de deslizamentos de terra, ou de inundações; avanço em processos de licitações para a construção de barragens; apoio técnico a prefeituras e defesas civis, entre outros projetos.
A SRHS-PE foi recriada na atual gestão do Governo do Estado e vem empenhando esforços na busca de recursos para viabilizar grandes obras hídricas, por meio de parcerias, seja junto ao Governo Federal, seja com financiadores internacionais, como o Banco Mundial, o Banco Interamericano de Desenvolvimento, etc.
Segue abaixo o detalhamento de algumas destas ações:
1. Mapeamento de áreas de risco nos morros e alagados da RMR, Matas e Agreste
De janeiro a abril deste ano, a SRHS-PE realizou o mapeamento de riscos de inundações e também de deslizamentos em áreas urbanas de 56 municípios nas bacias hidrográficas dos rios Goiana, Capibaribe, Ipojuca, Sirinhaém, Una, Mundaú e do grupo de rios litorâneas que compreendem a Região Metropolitana do Recife (RMR), Agreste e Zona da Mata.
O levantamento classificou as áreas onde o risco de deslizamento de massas é alto ou muito alto. Nas áreas mapeadas, foram identificados mais de 200 setores em que este risco foi considerado alto. Na RMR, o município com mais áreas de risco alto foi Jaboatão dos Guararapes e com menos foi Abreu e Lima. Já as áreas com risco muito alto, Jaboatão repete-se como a que registrou mais pontos e Moreno com menos. No total, foram detectados 382 setores do Grande Recife em que o risco de deslizamentos de terra é alto ou muito alto, totalizando uma área que abrange cerca de 20 mil residências.
“Trata-se de um levantamento completo de áreas suscetíveis a deslizamentos e inundações. Todo este material foi encaminhado às prefeituras dos municípios mapeados. Este instrumento certamente auxiliará as gestões municipais e defesas civis a salvarem vidas e patrimônios”, explicou o secretário de recursos hídricos e saneamento, Almir Cirilo.
2. Visitas técnicas para suporte a prefeituras na preparação para o período chuvoso
Equipes técnicas da SRHS-PE vêm fazendo periodicamente visitas in loco a áreas que historicamente são afetadas por inundações e danos causados por chuvas de grande intensidade. Os trabalhos foram inicialmente realizados em Caruaru, Canhotinho, Brejo da Madre de Deus e Santa Cruz do Capibaribe. A partir das visitas, a secretaria avaliou a viabilidade de implementação de obras de macrodrenagem para minimizar os efeitos dos excessos de precipitações nestas áreas.
3. Captação de recursos para obras de infraestrutura hídrica
» Saneamento Rural – No último mês de março, a SRHS-PE recebeu representantes do Banco Mundial (BIRD) para uma semana de reuniões, juntamente com a Compesa e a APAC, para detalhar os projetos que serão contemplados pelo empréstimo de R$ 600 milhões para Pernambuco, que serão empregados em programas de saneamento rural e inovação aplicada às soluções de abastecimento, especialmente nas áreas rurais do estado. Entre os projetos está a construção de uma sede própria para a APAC e a interiorização da agência, com criação de mais duas unidades em áreas rurais. Todos os projetos contemplados pelos recursos devem beneficiar cerca de 200 mil pessoas, moradoras prioritariamente das regiões Agreste e Sertão. A liberação dos recursos está prevista para acontecer ainda este ano.
» Barragens – A SRHS-PE tem atuado junto ao Governo Federal para obter recursos para a conclusão de obras estruturadoras, entre elas a conclusão das barragens Panelas II, Gatos, Igarapeba e Barra de Guabiraba – consideradas fundamentais para o controle de enchentes na Zona da Mata Sul do estado.
Estes quatro equipamentos, juntamente com a Barragem de Serro Azul, foram prometidos pelas gestões anteriores do Governo do Estado, após as enchentes de 2010 e 2011. Dos cinco reservatórios iniciados, apenas Serro Azul teve a construção concluída, em 2017; as demais tiveram os serviços paralisados entre os anos de 2014 e 2015.
Desde o início do ano, a SRHS-PE vem atualizando os orçamentos e projetos necessários para o reinício destas obras, que deve acontecer em setembro (ao final da quadra chuvosa), começando pela Barragem Panelas II, que foi interrompida quando estava 50 % finalizada – sendo o projeto que ficou mais avançado entre os quatro deixados pendentes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *