domingo, fevereiro 25

Mergulhadores de Fernando de Noronha capturam 28 peixes-leão em ação de conservação ambiental

Espécie invasora e venenosa é removida do ambiente marinho, protegendo a biodiversidade local

Fernando de Noronha
Foto: Fernando Rodrigues/ Sea Paradise
Mergulhadores da ilha de Fernando de Noronha realizaram uma ação de conservação bem-sucedida, capturando um total de 28 peixes-leão em dois mergulhos realizados durante o final de semana. No primeiro mergulho, seis peixes-leão foram capturados, enquanto no segundo, 22 exemplares, entre filhotes e adultos, dessa espécie invasora e venenosa foram removidos do ambiente marinho.
As capturas ocorreram a uma profundidade de 35 metros, em uma região onde não são realizados mergulhos comerciais, situada entre a Baía dos Golfinhos e a Ponta da Sapata. A equipe responsável pela ação foi a Sea Paradise, e os peixes-leão capturados serão entregues ao Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio).
O ICMBio, que capacitou os mergulhadores e autorizou as operações especiais para o manejo da espécie, receberá um relatório detalhado com informações sobre o relevo marinho, correntezas, profundidade e outros dados relevantes da região, além dos próprios peixes.
Fernando Rodrigues, o mergulhador que coordenou a operação de captura, expressou sua satisfação com o sucesso do trabalho. Ele destacou que a metodologia utilizada provou ser eficaz no avistamento e captura do peixe-leão na ilha.
O peixe-leão, conhecido cientificamente como Pterois volitans, possui espinhos que contêm uma toxina perigosa para os seres humanos, podendo causar febre, vermelhidão e até convulsões. Além disso, essa espécie é predadora e pode representar uma ameaça para espécies endêmicas que só ocorrem em determinadas regiões, além de causar desequilíbrio ecológico. Portanto, a remoção dos peixes-leão é fundamental para proteger a biodiversidade marinha de Fernando de Noronha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *