segunda-feira, julho 22

Interferência política na troca do comando das polícias preocupa, avalia Sileno

Líder do PSB na Alepe destaca riscos em decisões baseadas em interesses políticos, pedindo maior envolvimento da governadora e a Interferência nas questões de segurança.

Interferência Política na Troca do Comando das Polícias Preocupa, Avalia Sileno
Interferência Política na Troca do Comando das Polícias Preocupa, Avalia Sileno. Foto: Divulgação

O deputado Sileno Guedes (PSB), líder do maior partido de oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), manifestou sua preocupação hoje diante das recentes mudanças nos comandos da Polícia Civil e Militar do estado. As nomeações, supostamente impulsionadas por pedidos de um deputado aliado da governadora Raquel Lyra (PSDB), levantam questionamentos sobre a interferência política nas instituições de segurança.

Em entrevista, Sileno questiona se a substituição dos cargos mais altos significa que, daqui para frente, políticos locais terão influência na escolha das chefias de batalhões e delegacias. O parlamentar enfatiza que a segurança pública não pode estar sujeita a essas interferências e destaca a importância de um processo isento de influências políticas para garantir o bom funcionamento das corporações.

“Se uma troca dessa envergadura ocorreu nos mais altos cargos dessas corporações após o pedido de um deputado, significa dizer que, de agora em diante, as chefias de batalhões e de delegacias serão indicadas por políticos locais?” – questiona Sileno.

📲Siga o canal “Fala News” no WhatsApp

Para o deputado, a redução da criminalidade em Pernambuco não depende apenas dos currículos, mas sim de ações concretas. Ele destaca a necessidade de envolvimento mais ativo da governadora Raquel Lyra no processo, definindo metas claras, cobrando resultados e abordando questões práticas, como a demora na licitação das câmeras de monitoramento.

“Nós temos bons policiais em todas as operativas. Não conhecemos nada que desabone as chefias que saíram e as que estão entrando. O que falta é a governadora se envolver no processo, definir metas, cobrar resultados e estar atenta aos problemas reais, como a demora para licitar as câmeras de monitoramento.” – destaca o deputado.

📲Siga nosso perfil no Instagram

Insegurança e Desafios no Setor de Segurança

O programa “Juntos pela Segurança”, lançado pelo Governo Raquel Lyra em novembro do ano passado, busca enfrentar os desafios na segurança pública. Entretanto, os resultados apresentados até agora são desanimadores. Em 2023, houve um aumento de 5,98% no número de mortes violentas em comparação ao ano anterior.

A gestão atual estabeleceu a meta ambiciosa de reduzir em 30% o quantitativo de crimes violentos até 2026. Contudo, a falta de metas periódicas dificulta a transparência dos dados, tornando difícil o acompanhamento pela sociedade e desestimulando as polícias na busca por resultados.

Em agosto do ano passado, apenas oito meses após o início do governo, a cúpula da segurança enfrentou sua primeira mudança com a saída da secretária de Defesa Social, Carla Patrícia Cunha, substituída pelo delegado federal Alessandro Carvalho. Recentemente, a governadora Raquel Lyra exonerou a delegada Simone Aguiar da chefia da Polícia Civil e o coronel Tibério César do comando-geral da Polícia Militar.

Seus lugares foram ocupados, respectivamente, pelo delegado Renato Leite e pelo coronel Ivanildo Torres. As decisões, segundo Sileno Guedes, evidenciam a necessidade de uma análise mais criteriosa sobre os critérios utilizados nas substituições, garantindo que a segurança pública não se torne refém de interesses políticos.

Em meio a esse cenário de mudanças e desafios, a população pernambucana aguarda respostas e ações efetivas que proporcionem um ambiente mais seguro para todos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *