segunda-feira, maio 27

Em reunião do CEMIT, Governo de Pernambuco anuncia investimento inicial de R$ 2 milhões e série de ações de pesquisa e prevenção a incidentes com tubarões

Também serão realizadas medidas para conscientizar os banhistas por meio de educação ambiental

Foto: Américo Nunes/Vice-governadoria
O Governo de Pernambuco anunciou um investimento inicial de R$ 2 milhões para ser aplicado em ações de prevenção aos incidentes com tubarões em toda a costa da Região Metropolitana do Recife (RMR). O anúncio foi feito durante reunião do Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit), liderada pela vice-governadora Priscila Krause e pela secretária estadual de Meio Ambiente, Ana Luiza Ferreira, na tarde desta quinta-feira (9), no Palácio do Campo das Princesas.
“A reunião de hoje é mais um importante passo do Governo do Estado para avançar nas ações de forma articulada para que tenhamos resultados de curto, médio e longo prazos. É de extrema importância a participação efetiva dos municípios para que possamos garantir investimentos nas suas cidades e atuar de maneira conjunta”, afirmou a vice-governadora Priscila Krause.
Do montante total, pouco mais de R$ 1,5 milhão virá do Porto de Suape, que desde julho de 2021 integra o Projeto Megamar em parceria com a Fundação Apolônio Salles (Fadurpe) e a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Os cerca de R$ 500 mil restantes serão investidos por meio da Secretaria de Ciência e Tecnologia, através de edital da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco (Facepe). O valor será aplicado em estudos para políticas públicas para prevenção e mitigação de incidentes com tubarões e invasões do peixe-leão em Pernambuco.
“A mensagem que fica para nós, pernambucanos afetados pelo tema, é que felizmente temos a união de muitas instituições e um acúmulo de conhecimento, de décadas, no assunto, e de muito material que já foi produzido. Com este incentivo vamos avançar com as pesquisas”, salientou a secretária de Meio Ambiente, Sustentabilidade e Fernando de Noronha, Ana Luíza Ferreira.
Com o aporte financeiro de Suape será possível iniciar a segunda fase do Projeto Megamar, desta vez em uma região que vai além da zona portuária. O estudo prevê a instalação de cerca de dez receptores acústicos na área de estudo, além de outros dez nas raias da Região Metropolitana do Recife. As pesquisas ainda incluem 24 expedições para captura e marcação de tubarões das espécies tigre, cabeça-chata e galha preta, além da aplicação de 30 receptores acústicos e 32 ações de educação ambiental, entre palestras, exposições e campanhas com banhistas.
A ampliação da iniciativa, que deve ocorrer em até três meses, vai possibilitar a avaliação da densidade de tubarões em quase todas as áreas onde há maior chance de registros de ataques. “Esse projeto atua no trecho em frente ao Porto de Suape, mas será ampliado até Olinda. Ficamos felizes pelo empenho do Governo do Estado em apoiar, inclusive com recurso, o monitoramento e todo esse trabalho e conscientização ambiental em prol da população”, comentou o professor da UFRPE e supervisor científico do Projeto Megamar, Paulo Oliveira.
De maneira imediata serão realizadas a substituição e o incremento de placas de sinalização que alertam sobre a presença de tubarões na faixa litorânea do Grande Recife e a intensificação do patrulhamento através de sobrevoos de helicóptero. O Corpo de Bombeiros também irá iniciar o treinamento dos guarda-vidas municipais para aumentar o efetivo nas praias e disponibilizar pronto atendimento a possíveis vítimas de mordidas de tubarão.
“A partir de amanhã já iremos aumentar nosso efetivo de fiscalização e orientação aos banhistas e trocar as placas de sinalização. Também contaremos com o reforço de 20 guardas civis municipais na orla”, comentou o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Mano Medeiros. “Estamos conversando com o Corpo de Bombeiros para dar suporte, a Polícia Militar, a Guarda Municipal e a Secretaria de Meio Ambiente. Vamos fazer um trabalho educativo e preventivo”, completou o prefeito de Olinda, professor Lupércio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *